Circuito Praça Mauá

No sábado 11 de junho, o grupo PET Civil UFJF realizou uma viagem ao Rio de Janeiro. Saímos de Juiz de Fora por volta de 5:30 da manhã e chegamos no Centro da capital fluminense perto das 10:00.13428553_1028369803898078_6120163319909648174_n13427978_1028369810564744_2112666165810159265_n (1)33b8806e-67bd-41aa-a25c-9c19a212c6ab

O objetivo principal da viagem era realizar uma visita técnica ao Museu do Amanhã, situado na Praça Mauá.2fc71b65-660e-427f-abb8-87ae4f615aa9

Logo na entrada, surpreende-se com a magnitude da estrutura metálica em balanço que serve de cobertura para os turistas durante a fila de entrada. Uma professora de arquitetura que estava realizando a viagem também explicou que a concepção da estrutura metálica de cobertura tem o design de modo a maximizar a captação de luz solar e, assim, gerar energia para o museu. Além disso, a construção, cerceada por espelhos d’água, remete a um navio que adentra o mar.

002e04e9-df23-420b-b01d-14173c563d1abeebcdad-cefa-4d1e-83ad-6861d3626a32

Nós petianos fomos uns dos primeiros a entrar e não enfrentamos muitas filas. A primeira atração foi um simulador, em que, deitados no chão, pudemos assistir a um vídeo de 8 minutos que versava sobre o Cosmos.  d80d19f7-3d75-454f-9f3b-fe6a0b6bcbf4

Em seguida, a exposição assumia um caráter extremamente tecnológico e interativo; entre ambientes na forma de cubos e bancadas eletrônicas, era possível absorver a mensagem passada pelas instalações. Dentre as atrações que mais chamaram a atenção, está o quiz em que era possível calcular a Pegada Ecológica de cada um e ver como seria possível reduzi-la.

No fim do andar superior, passamos por telas extremamente elevadas, da maneira dos anúncios da Times Square, nas quais vimos os impactos da ação humana no planeta como um todo; entramos na “Oca”, que representava a parte do “Nós” e, por fim, chegamos no mirante em que se via a Estrela do Amanhã, as águas da Baia de Guanabara e a Ponte Rio-Niterói.3a1c26bb-3fbe-42bf-a4bc-e15f956ab1526840e41f-5777-4dc6-8c7a-0a7c9ec26afa

No andar de baixo, estava ocorrendo a exposição de Santos Dummont com um cunho bem sofisticado: havia uma esteira ilustrada com mapas no centro e aviões suspensos que davam a ideia do movimento; além disso, cerca de 50 pequenos aviões moviam-se por engrenagens e roldanas ao redor de todo o teto; para os mais criativos tinha como fazer seu próprio aviãozinho de papel, subir uma escada e lançá-lo em uma pista de voo.49b854f3-9231-4662-a784-48affe3b5818

Aproveitamos o intervalo para saborear um Food Truck na própria praça e, logo depois, fomos no Museu de Arte do Rio, ainda na praça. O MAR é intrigante; uma cobertura única em forma de ondas interliga dois prédios e remete ao movimento das águas. Pudemos ter contato com as exposições que ocupavam 4 andares. Essas tinham um cunho mais literato e, através de palavras ou artes visuais, passavam mensagens pertinentes. Uma em particular que chamou a atenção foi a que abordava a questão da violência na cidade e algumas das cenas exibidas eram bem fortes e faziam o público refletir bastante sobre a realidade.be1bf176-8558-47b3-b54a-bb0566cd2827

Ao fim da segunda visita, ficamos esperando a van de retorno sentados na Praça Mauá enquanto os jovens andavam de skate e uma banda de rua ecoava ao longe.

3dcb86f9-51f4-4b66-95b2-3ed3a261ea5a

Anúncios

XXXVIII Semana da Engenharia

Alinhado com os pilares da instituição e com o compromisso de contribuir para a formação cidadã dos alunos, o DAEng realiza eventos que valorizam o caráter técnico, social e humano do profissional.

A Semana de Engenharia é um evento tradicionalmente realizado pelo Diretório Acadêmico, e esse ano conta com a participação de todos os segmentos da Engenharia, que fazem parte do Conselho dos Segmentos: Atlética, Code, Equipe Baja, Equipe Capivara, Escuderia SAE, GET-Ambiental e Sanitária, GET-Computacional, GET-Produção, IEEE, Impacto, Mais, Microraptor, PET-Civil, PET-Elétrica, Porte, SEEPRO e Supernova Rocketry.

realização-apoio

Durante essa tradicional Semana os graduandos podem se capacitar, se integrar, e desenvolver responsabilidade social , por meio de atividades e temas relativos aos cursos da Faculdade.

A 38a Semana da Engenharia que este ano acorre de 19 a 22 de Janeiro, na Faculdade de Engenharia da Universidade Federal de Juiz de Fora, conta com palestras, minicursos, visitas técnicas e competições.

Diferente de edições anteriores, nessa edição as palestras foram divididas entre as gerais e as específicas: as gerais tratam de temas que abrangem todas as 10 modalidades de Engenharia oferecidas atualmente pela UFJF, e as específicas são palestras voltadas para uma modalidade de Engenharia, podendo ser Ambiental e Sanitária, Civil, Computacional, Mecânica, Produção, Elétrica (Sistemas de Potência, Sistemas Eletrônicos, Telecomunicação e Energia).

Serão 5 palestras gerais, 15 palestras específicas, 7 minicursos, 6 visitas técnicas e 2 competições durante esses 4 dias de evento.

Palestras Específicas:

AMBIENTAL: A obra de despoluição do Rio Paraibuna; Drenagem urbana.

CIVIL: Concreto projetado por via úmida, Projeto e construção de sistemas sob trilhos, Estrutura de barragem.

COMPUTACIONAL: Empreendedorismo, inovação e aplicações da modelagem computacional no setor industrial, Modelagem computacional envolvendo ​proteínas.

ENERGIA: Mercado de energia elétrica, Chernobyl: causas e conseqüências do maior acidente de engenharia da humanidade.

POTÊNCIA: Ferramentas computacionais utilizadas no planejamento e operação de sistemas elétricos de potência de grande porte, Evolução da proteção de sistemas elétricos: o RTDS como ferramenta de proteção.

MECÂNICA: Competição Brasileira Universitária de Foguetes: pelo direito de voar mais alto.

PRODUÇÃO: Engenharia da Qualidade aplicada em indústrias, Empreendedorismo com valor.

Palestras Gerais:

A Engenharia nacional e o projeto nacional de desenvolvimento; As expectativas do mercado de trabalho para os novos engenheiros: a formação pessoal e profissional em debate; Ferrovias: do macro ao micro; Desenvolvimento econômico e meio ambiente; Os novos paradigmas da educação em Engenharia: como formar um profissional mais empreendedor.

Minicursos: Python; Revit; Inglês técnico; LTspice; SolidWorks; Minicurso de Desenvolvimento de Placa de Circuito Impresso; GitHub.

Visitas Técnicas: U&M; Pedra Sul; IMBEL; Geoconcret; Votorantim Energia; Natura.

Competições: Quiz Cultural: disputa organizada pelo PET CIVIL entre equipes formadas pelos alunos da Faculdade de Engenharia onde cada equipe tem um tempo limitado para responder perguntas sobre assuntos gerais. A equipe que acumular mais pontos, respondendo corretamente as perguntas, é a vencedora e ganhará prêmios!

12540579_941683342566725_6739497258467502351_n

Para mais informações sobre a Semana da Engenharia acesse: DAEng; Facebook PET Civil.

Fonte: DAEng; PET Civil.

 

 

Visita técnica Gerdau

No dia 21 de maio de 2015 o grupo PET Civil da Universidade Federal de Juiz de Fora visitou uma das filiais da Comercial Gerdau.  A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais do mundo, além disso, tem a produção própria de aços planos.

IMG-20150521-WA0037 (2)

Com mais de 45 mil colaboradores, a Gerdau possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia – as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas de aço por ano. Além disso, é a maior recicladora da América Latina transformando anualmente milhões de toneladas de sucata em aço.
A unidade Gerdau de Juiz de Fora realiza apenas corte e dobra do aço. A visita foi guiada por engenheiros responsáveis pela produção onde foi possível conhecer os processos operacionais e técnicos da empresa. O serviço de corte e dobra da Gerdau oferece muitas vantagens aos clientes, desde a redução do desperdício no uso do aço a economia de tempo na execução da obra, já que os estribos e vergalhões são feitos sobre medida de acordo com o projeto.

Assista o vídeo institucional da Gerdau:

O grupo PET Civil agradece aos engenheiros que nos guiaram na visita e nos receberam tão atenciosamente!
Fonte:  Gerdau

Visita técnica ao canteiro de obras do Shopping Jardim Norte

No dia 16 de maio de 2015 o grupo PET civil foi ao canteiro de obras das futuras instalações do Shopping Jardim Norte, localizado na Avenida Brasil, próximo a rodoviária, em Juiz de Fora. A visita foi acompanhada pelo engenheiro responsável pela obra que, inicialmente, através de diversas plantas descreveu as principais características do projeto, e posteriormente, percorreu o canteiro explicando as técnicas construtivas utilizadas, os materiais empregados e a rotina da obra.11009182_1016678855010562_5511174228059213777_n

Sobre o projeto, o shopping está inserido em um eixo com grande potencial de crescimento na cidade, situado entre duas vias com expressivo fluxo de veículos, próximo a rodoviária, ao futuro Jardim botânico da UFJF e ao Novo complexo de urgência e emergência. Dessa forma, o Jardim Norte visa suprir as necessidades de uma população carente em opções de compra e lazer. O projeto irá atender ao todo em torno de 2 milhões de pessoas na cidade e região.mapaNovo

O empreendimento conta com uma enorme infra-estrutura, possuindo 195 lojas, das quais 7 são âncoras, incluindo um hipermercado, 8 são megalojas, 160 são lojas-satélite e 20 lojas de alimentação, incluindo 4 restaurantes. Além disso, a praça alimentação terá 1000 lugares, haverá 6 salas de cinema, lazer e diversões e o estacionamento terá capacidade para 2100 carros, sendo 620 vagas cobertas.

A edificação possui 3 pavimentos, o térreo é destinado as vagas de estacionamento, algumas lojas prestadoras de serviço e espaços reservados a setores responsáveis pela operação e manutenção. O segundo e o terceiro, L1 e L2 serão as áreas onde estarão as lojas, restaurantes, cinema e outros espaços disponíveis ao público. Em cima da laje do terceiro pavimento existe um espaço destinado a parte técnica, onde ficarão os equipamentos e maquinários. A área bruta locável, a ABL, que compreende todos os espaços disponíveis para aluguel, corresponde a 36000 metros quadrados.

Um dos pontos mais interessantes do projeto é a preocupação com o tempo de obra, que será ao todo de dois anos, visto que ela iniciou-se efetivamente em março de 2014 e será entregue no mesmo mês em 2016. A agilidade do processo se dá devido a gestão dos trabalhadores, as tecnologias construtivas e ao maquinário empregado, assim o empreendimento conta com apenas 280 funcionários trabalhando.

O grupo PET civil agradece aos responsáveis pela obra, que nos receberam e guiaram durante a visita.

fonte: jardimnorte