Fique (des)ligado?! – Iniciativas para Eficiência Energética

Talvez o leitor pense que o tema de hoje esteja relacionado apenas à engenharia elétrica. Mas engana-se. Conhecimentos sobre matriz energética, geração de energia elétrica e práticas sustentáveis também fazem parte da formação de outros profissionais, inclusive o engenheiro civil. Mais do que isso, devem estar presentes no dia a dia de cada cidadão.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, fomentar ações de incentivo à eficiência energética é um dos desafios que vêm sendo enfrentados com bons resultados. Por isso, faz-se necessário conhecer algumas das iniciativas voltadas para essa área. Vamos apresentar, então, dois programas de importantes instituições que não podem passar despercebidos.

20170512095147850174a

 

PROINFA

Existe um programa de incentivo às fontes alternativas de energia elétrica. Sabia disso?

Exatamente! É o PROINFA: Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica. Um programa coordenado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), com o objetivo principal de promover a diversificação da Matriz Energética Brasileira, buscando alternativas para aumentar a segurança no abastecimento de energia elétrica, além de permitir a valorização das características e potencialidades regionais e locais. E essa diversificação visa fomentar o uso de fontes renováveis de energia, como a eólica, a biomassa e pequenas centrais hidrelétricas (PCH).

 

matriz proinfa

Atividades da PROINFA por matriz energética para cada região do Brasil.

 

 

Suas ações já apresentaram grandes resultados. Em pouco mais de 3 anos, de apenas cerca de 22 MW de energia eólica instalada, aumentou-se para 414 MW. E, além disso, há previsão de instalação de 3.300 MW de capacidade, distribuídos em 1.100 MW de fontes eólicas, 1.100 MW de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e 1.100 MW de projetos de biomassa.

 

 

energia-eolica

Incentivo à energia eólica.

 

PROCEL

Também coordenado pelo MME, e executado pela Eletrobras, temos o Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica).  O programa foi instituído em 1985 para promover o uso eficiente da energia elétrica e combater o seu desperdício.

  • SELO PROCEL

      Você já deve ter visto este selo! Mas sabe o que é?

    Selo Procel Institucional (Sem ano)

    SELO PROCEL.

     “O Selo Procel de Economia de Energia, ou simplesmente Selo Procel, tem como finalidade ser uma ferramenta simples e eficaz que permite ao consumidor conhecer, entre os equipamentos e eletrodomésticos à disposição no mercado, os mais eficientes e que consomem menos energia.

    Para isso, são estabelecidos índices de consumo e desempenho para cada categoria de equipamento. Cada equipamento candidato ao Selo deve ser submetido a ensaios em laboratórios indicados pela Eletrobras. Apenas os produtos que atingem esses índices são contemplados com o Selo Procel.”

 

etiqueta-procel

Modelo de uma etiqueta PROCEL.

 

  • PROCEL EDIFICA – Eficiência Energética nas Edificações

Dentro desse programa, há um projeto muito interessante que promove o uso racional da energia elétrica em edificações desde sua fundação. Atendendo às demandas da construção civil, do Ministério das Cidades, das universidades e centros de pesquisa, o PROCEL EDIFICA possui ações cujos objetivos incluem incentivar a conservação e o uso eficiente dos recursos naturais (como água, luz, ventilação) nas edificações, reduzindo os desperdícios e os impactos sobre o meio ambiente.

 

images (1)

 

Esse subprograma entrou em vigor em novembro de 2010 com a etiquetagem de prédios residenciais, incentivando as construtoras a buscarem um uso mais racional da eletricidade e alertando os consumidores sobre as opções mais econômicas.

Segundo Maria Tereza Marques, chefe da Divisão de Eficiência Energética em Edificações da Eletrobras, nas novas edificações, com tecnologias mais eficientes elaboradas no projeto, a economia no consumo pode superar 50%. Em edificações adaptadas, ela chega a 30%.

O selo classifica os imóveis de A até E, num nível decrescente de eficiência. Cada edificação pode receber mais de uma etiqueta, com a avaliação do projeto, do edifício construído, de cada unidade e das áreas comuns. Para obter o selo, o proprietário do edifício deve procurar um organismo de inspeção creditado pelo Inmetro, que irá fazer a análise. O Ministério de Minas e Energia (MME) ressaltou o papel do selo “para motivar o mercado consumidor a adquirir e utilizar imóveis mais eficientes.”

 

procel edifica

 

Gostou? Para mais informações, acesse:

Matriz Energética

PROINFA

PROCEL

PROCEL EDIFICA

 

E fique sempre ligado nessas iniciativas!

 

 

OS 10 ANOS E O KIT MOLA

O PET Civil UFJF encontra-se em comemoração dos seus 10 anos de criação!

logo 10 anos PET

Logo dos 10 anos do PET Civil UFJF idealizada pelo petiano egresso Matheus Saggioro.

E mais uma vez gostaríamos de divulgar esse momento festivo que é tão especial para os integrantes do grupo: bolsistas, não-bolsistas, tutores, egressos… enfim, petianos!  E uma vez petiano, sempre petiano, não é mesmo?!

Além disso, parabenizamos a comunidade acadêmica por fazer o PET acontecer! Trabalhamos por um curso melhor, por uma Faculdade mais acessível… por vocês! Por você estudante, ou professor, calouro ou veterano!

Àquel@s que nos procuram em nossa salinha (5123 do Itamar Franco, hein?!), participam dos aulões, visitas técnicas, minicursos, Concurso de Pontes das Escolas Públicas, Olimpíada de Engenharia Civil e Concurso Mola, obrigado!

O EVENTO

E para completar, vamos relembrar a programação do último dia da Semana dos 10 anos do PET Civil UFJF.

SEXTA-FEIRA (12/05)

14H – PALESTRA COM CRIADOR DO KIT MOLA

Às 14h, teremos a ilustre presença do criador do Mola Structural Mola, o arquiteto Márcio Sequeira de Oliveira.

Em setembro de 2016, durante a XXXIX Semana da Engenharia UFJF, ele visitou nosso grupo pela primeira vez com a palestra magna “Mola Structural Model: A maior campanha de financiamento coletivo do país”. Desta vez, o Márcio irá acompanhar a segunda edição do Concurso Mola que, segundo ele, é o primeiro concurso da história do Kit Mola.

14359165_1093603107374747_6261622964454520407_n

Márcio Sequeira em sua primeira visita ao PET Civil.

A temática de sua palestra irá girar em torno de aspectos de empreendedorismo, alimentando os desejos de estudantes de todas as engenharias da UFJF, com particular ensejo na Engenharia de Produção. Fique ligado!

Mini currículo do palestrante:

Márcio Sequeira é arquiteto pela UFPA, com especialização em estruturas metálicas pelo Instituto Isabela Hendrix e mestrado em Construção Metálicas pela UFOP. Desenvolveu o projeto Mola lançado em uma plataforma de financiamento coletivo , Catarse, bateu o recorde nacional em 2014 e arrecadou R$ 600 mil em 45 dias. O projeto teve 1.583 apoiadores vindos de 30 países. Vencedor do prêmio Brasil Criativo 2014 (categoria Design) e finalista no Creative Business Cup Brasil 2014.

“Márcio Sequeira é arquiteto pela UFPA, com especialização em estruturas metálicas pelo Instituto Isabela Hendrix e mestrado em Construção Metálicas pela UFOP. Desenvolveu o projeto Mola lançado em uma plataforma de financiamento coletivo , Catarse, bateu o recorde nacional em 2014 e arrecadou R$ 600 mil em 45 dias. O projeto teve 1.583 apoiadores vindos de 30 países. Vencedor do prêmio Brasil Criativo 2014 (categoria Design) e finalista no Creative Business Cup Brasil 2014.”

 

16H – II CONCURSO MOLA

Após um intervalo com um delicioso Coffee Break, teremos o II Concurso Mola.

O Concurso MOLA já está no calendário de atividades do PET Civil UFJF dada a repercussão da primeira edição, realizada em julho do ano passado. E, ainda, foi tema de trabalho apresentado no último CONPET Civil (Congresso Nacional dos Grupos PET de Engenharia Civil), que aconteceu em Fortaleza na semana passada. (Post do IV CONPET em breve!)

ORGANIZAÇÃO

Serão 12 equipes competindo numa atividade dinâmica com a (des)construção de estruturas em escala reduzida, aplicando conceitos aprendidos nas disciplinas de Desenho Técnico, Mecânica, Análise Estrutural e Resistência dos Materiais. Mesmo assim, o concurso é voltado para todas as Engenharias, Arquitetura e cursos do ICE (Instituto de Ciências Exatas).

Como PREMIAÇÃO, a equipe vencedora vai ganhar R$500 em vales da Livraria Saraiva e pendrives para a segunda colocada. Além disso, ambas as equipes receberão as medalhas do Concurso Mola.

Aguardem novidades para a segunda edição!

INSCRIÇÕES ABERTAS! PARTICIPEM!

WhatsApp Image 2017-04-23 at 15.16.24 (1)

II Concurso MOLA nos 10 anos do PET Civil UFJF.

Link para inscrição no Concurso Mola: aqui

Para mais informações, leia o edital: aqui

Evento de 10 anos: aqui

Contamos com sua presença mais uma vez em nosso evento! Venha comemorar conosco nossos 10 anos de muitas histórias!

Histórias que serão compartilhadas aos poucos aqui no blog ao longo de todo este ano! Podem se preparar para muitas emoções!

Abraços,

PET Civil UFJF.

SudestePET 2017 – VITÓRIA/ES

Após o encontro local dos grupos PET e GET (PET Institucional) no XV InterP(G)ET, os petianos da Universidade Federal de Juiz de Fora aguardavam ansiosos  pela integração de toda a região sudeste do país, evento de maior alcance que proporcionaria grandes discussões acerca dos trabalhos realizados, das lutas futuras e da importância do Programa de Educação Tutorial: o XVII SudestePET.

E nos dias 17 a 19 de março deste ano, aconteceu o SudestePET 2017 em Vitória/ES, sediado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), com o tema “Política e Educação: Influências no Programa de Educação Tutorial”. A UFJF foi representada pelos PET’s das faculdades de Educação Física, Psicologia, Engenharia Elétrica, pelo GET Engenharia Computacional, e é claro que o PET Civil não poderia faltar!

SUDESTE PET 2017 LOGO

Logo do SudestePET 2017.

IMG-20170320-WA0109

Grupos PET’s da UFJF que participaram do evento.

 

O EVENTO

Os (participantes) da UFJF foram recebidos pelos petianos da Universidade Federal de Juiz de Fora na noite do dia 16 de março para credenciamento no evento.

programação

Programação oficial do evento.

 

SEXTA-FEIRA (17 de março)

ABERTURA

                Na manhã do dia 17, sexta-feira, todos os petianos foram recebidos para a Abertura Oficial do XVII SudestePET. A mesa era composta por:

  • Mario Lima Brasil, tutor do PET Conexão de Saberes | Música do Oprimido (UNB – Brasilia/DF) e presidente do CENAPET (Comissão Executiva Nacional do PET);
  • Zenólia C. Campos Figueiredo, diretora da PROGRAD (Pró-Reitoria de Graduação) da UFES.
  • Silvia Neves Salazar, tutora do PET Serviço Social da UFES;
  • Samara Henrique Maschetti, petiana do PET Engenharia Florestal (UNESP – Botucatu/SP) e diretora de comunicação do CENAPET;
  • Camila Maria Grijó de Almeida, estudante de Artes Visuais e egressa do PET Conexões – Projeto Educação (UFES).

 

Durante a abertura, realizada no Teatro Universitário da UFES, os petianos foram apresentados à criação e trajetória do Programa de Educação Tutorial. Todas as dificuldades enfrentadas pelo Programa e destacadas na fala de Mario Lima, presidente do CENAPET, foram efetivas para entendermos a importância desse sistema do qual fazemos parte e o porquê de estarmos nesse encontro regional.

ABERTURA

Na mesa de abertura, temos, da esquerda para direita: Camila Grijó, Samara Maschetti, Zenólia Figueiredo, Mário Lima e Silvia Salazar.

17426168_1849835841945244_6711650159685391652_n

Todos reunidos para abertura do evento no Teatro Universitário da UFES.

 

Aproveitando o tema “Política e Educação: Influências no Programa de Educação Tutorial”, os petianos e tutores que compuseram a mesa ressaltaram nosso dever, como integrante da comunidade petiana, de agir e não ficarmos restritos apenas aos trabalhos individuais. Os 842 grupos precisam mostrar presença nas atividades e lutar pelo o que é nosso, afinal, somos todos agentes políticos. É por isso que precisamos marcar presença no MOBILIZA PET e no próximo ENAPET, eventos apresentados durante a abertura. Ambos acontecerão em Brasília, em julho deste ano.

anúncio ENAPET

Alguns petianos vieram de Brasília para divulgar o XXII ENAPET, que ocorrerá em julho deste ano.

 

GDT’S

Nesse primeiro dia de evento, foram organizados os GDT’s (Grupos de Trabalho) com a ideia de convidar os petianos a participarem de debates sobre temas importantes para a atuação do PET. Dentre os vários GDT’s organizados pelo SudestePET, estes são os grupos que PET Civil participou:

  • PET e o colegiado – relações com o CLAA e a IES.
  • Desafios, Integração dos grupos PET.
  • Financiamento do programa: custeio.
  • PET, ação e prática política: MobilizaPET.
  • Intervenção dos grupos PET na Sociedade.

 

SÁBADO (18 de março)

APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

Dando sequência à programação, a manhã do dia 18 de março foi reservada para a apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos diversos grupos PET da região sudeste. Cada grupo poderia submeter até 2 trabalhos, que seriam apresentados na forma de banner.

A proposta é conhecer as atividades de cada grupo, conhecendo novas pessoas, formas de atuar de seu respectivo PET e, quem sabe, motivar-se para também colocar em prática alguma ideia que tenha gostado. Além disso, haveria avaliação dos trabalhos por uma comissão do Sudeste PET.

17457352_1849762001952628_8846297560644512857_n

Apresentação de trabalhos.

 

O grupo PET Civil enviou trabalho sobre o “III Concurso de Pontes de Papel das Escolas Públicas de Juiz de Fora”, que foi apresentado pelos petianos Gustavo e Letícia Spínola. Os mesmos comentaram que foi uma experiência bacana e que ficaram felizes pela maneira como o Concurso foi bem recebido: “Todos gostaram muito!”.

17342501_1849779815284180_6958886681735920794_n

Gustavo e Letícia Spínola preparados para sua apresentação.

IMG-20170320-WA0022

PET Civil ao lado de seu banner.

 

A programação para sábado estava realmente cheia. Ainda para esse dia, teríamos o GAPD e a Plenária, as Oficinas, Reunião de Tutores e Festa Oficial do evento.

  • GAPD (Grupo de Ajustes às Propostas Deliberativas)

Com base na ementa do GAPD, disponível no documento final das propostas, “O Grupo de Ajustes às Propostas Deliberativas (GAPD) é composto por três representantes de cada universidade, a priori um tutor e dois petianos, e tem como objetivo ajustar e melhorar a redação das propostas advindas dos GDTs, a fim de facilitar o entendimento e a compreensão das mesmas na Assembleia Geral.”

  • PLENÁRIA

A plenária constituiu-se uma sessão de debates, que abordou temas como diversidade, pluralidade e gênero, discutindo uma formação crítica e livre de quaisquer preconceitos.

Em consonância com deliberação do último ENAPET, constituiu ótima iniciativa, pois trouxe espaço para assuntos importantes que merecem ser ouvidos e debatidos.

  • OFICINAS

Criando um momento de descontração, o SudestePET 2017 trouxe também algumas atividades lúdicas para aprendizagem e também interação entre os participantes. Tivemos oficinas de Circo, Teatro, Luta, Mosaico, Vídeo, Dança Afro e, ainda, Visita ao Centro Histórico de Vitória.

DOMINGO (19 de março)

ASSEMBLEIA GERAL

No último dia do evento, estava programada para acontecer a Assembleia Geral, com a reunião de toda a comunidade petiana participante do SudestePET.

Reunidos no Teatro Universitário da UFES, todos votaram a fim de acordar sobre o regimento interno do SudestePET, moção sobre rotatividade desse encontro regional e, por fim, o documento final do GAPD foi lido e as propostas discutidas e votadas. Após a Assembleia, deu-se por encerrado o XVII SudestePET.

17425035_1849740948621400_8669533795984544726_n

Leitura dos documentos redigidos durante o SudestePET para votação final.

 

17425905_1849741185288043_1439106321412792547_n

Comunidade petiana erguendo seus crachás para computar os votos na Assembleia Geral.

AGRADECIMENTOS

Foram dias de muita inspiração para todos os petianos, que chegaram motivados a compartilhar essas experiências e, claro, participar do Encontro Nacional dos Grupos PET (ENAPET), que será realizado em julho de 2017, em Brasília/DF.

O PET Civil agradece aos organizadores, à UFES e também à nossa UFJF, que possibilitaram a participação nesse evento enriquecedor.

E, ainda, agradecemos ao estado do Espírito Santo e à Vitória, que nos conquistou com suas belezas naturais, suas pontes, nos recebeu na praia do Camburi, no Convento da Penha (Vila Velha) e na Rua da Lama, com sua deliciosa pizza em cone.

Até a próxima!

IMG-20170320-WA0030

Visita ao Convenho da Penha pelos grupos PET da UFJF, com vista para a famosa Terceira Ponte – Vila Velha/ES.

IMG-20170320-WA0025

PET Civil no SudestePET 2017.

 

Para saber mais, acesse:

Site oficial do evento: SUDESTEPET 2017

Mais fotos do evento em: SudestePET no Facebook

Comissão Executiva Nacional do PET: CENAPET

Tema do trabalho apresentado no  SudestePET: III Concurso de Pontes das Escolas Públicas de Juiz de Fora

III Concurso de Pontes de Papel das Escolas Públicas de Juiz de Fora

Na última semana, aconteceu o III Concurso de Pontes de Papel das Escolas Públicas de Juiz de Fora. Tradicionalmente, o projeto é organizado pelo PET Civil UFJF em parceria com o Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora e já obteve apoio e reconhecimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) em suas duas últimas edições.

E a edição de 2016 foi especial por contar com duas novidades:

  1. Presença da ArcelorMittal: Nesta edição, trabalhamos, pela primeira vez, em conjunto com a ArcelorMittal, grande empresa referência na produção de aço no Brasil e no mundo. Essa parceria possibilitou a materialização de uma das diretrizes da empresa: o incentivo à educação científica;
  2. Participação do ensino fundamental: Em virtude da parceria da empresa com a Prefeitura Municipal e Secretaria Municipal de Educação de Juiz de Fora, responsáveis por escolas de ensino fundamental, os alunos do 9º ano foram os grandes protagonistas do evento.

As escolas participantes foram:

  • E. M. Cosette de Alencar, sendo representada por 2 equipes;
  • E. M. Presidente Tancredo Neves, com 4 equipes;
  • Colégio de Aplicação João XXIII, também com 4 equipes.

Segundo edital, poderiam ser enviadas até 4 (quatro) equipes por escola, com um máximo de 6 (seis) alunos integrando cada equipe.

panfleto

Cartaz de divulgação do Concurso.

 

PROGRAMAÇÃO

 

DIVULGAÇÃO NAS ESCOLAS: Na última semana de outubro, petianos e tutor do grupo PET Civil começaram a visitar as escolas, de sala em sala, para divulgar o concurso, no intuito de despertar a curiosidade de alunos do 9º ano sobre a construção de pontes de papel e animá-los a participar.

INSCRIÇÕES: as equipes tinham até o dia 11 de novembro para se inscreverem e se aventurarem nessa empreitada.

REUNIÃO DE LÍDERES: No dia 18 de novembro, no Centro de Ciências, foi realizada uma reunião entre integrantes do PET Civil e os líderes de cada equipe para melhor explicar o funcionamento do concurso e as tarefas a serem realizadas, além de breve explicação sobre alguns conceitos, como a aplicação da 3ª Lei de Newton e o esperado comportamento da ponte.

MONTAGEM DA PONTE: Nos dias 21 e 22 de novembro, também no Centro de Ciências, foi dada a largada para a construção das pontes. Os alunos tiveram 12 horas para tal atividade, de 13h às 19h em cada dia. Durante todo esse momento, foram auxiliados pelos integrantes do PET Civil e, em meio à árdua tarefa, fizeram algumas pausas e ainda tiveram lanches oferecidos pela ArcelorMittal, preparando-os para o segundo tempo.

montagem-tancredo-e-cosette

Alunos do Cosette de Alencar e Tancredo Neves dando início à construção das pontes.

Diferentemente da Olimpíada de Engenharia Civil, concurso realizado pelo PET Civil com estudantes de engenharia e arquitetura da UFJF, os alunos do 9º não realizaram seus próprios projetos das pontes. Cada equipe recebeu o projeto, em folha A1, desenvolvido pelo PET, com medidas e instruções.

gabarito-ponte-nas-escolas-2016

Projeto como “molde” da ponte a ser construída.

auxilio-na-montagem

Petiano Júlio dando instruções acerca da montagem.

A fim de estabelecer justas e iguais condições, todos construíram sua ponte sob o mesmo projeto com materiais fornecido pelos organizadores, apenas. Tais materiais formaram um kit contendo 2 folhas de papel cartão, lápis, borracha, réguas, tesouras, estiletes e colas-branca.

montagem2

RUPTURA DAS PONTES: Na manhã do dia 26 de novembro, sábado, o evento tem seu encerramento com a cerimônia de ruptura das pontes, realizado em anfiteatro do prédio Itamar Franco, na Faculdade de Engenharia da UFJF. Os participantes do 9º ano, pais, amigos e professores foram convidados a assistirem à etapa mais aguardada, em que poderiam saber o quão resistentes eram suas pontes.

 

O EVENTO

 

No evento de ruptura das pontes, também contamos com a presença do Elói, diretor do Centro de Ciências da UFJF, que nos ajudou em todas as edições; da Elaíne, representando a Secretaria Municipal de Educação de Juiz de Fora e do Ricardo Schmidt, gerente de Recursos Humanos da ArcelorMittal. Além disso, contamos com a presença do Tribuna de Minas, jornal da cidade e região, que acompanhou parte do evento.

presentes

Abertura do evento com direito a palavras do tutor Marconi, Ricardo Schmidt, Elói e Elaíne. (da direita para esquerda)

Na etapa final, todas as pontes foram submetidas a um teste de carregamento, de modo a verificar qual a carga máxima suportada pelas estruturas. Antes do rompimento, cada ponte foi pesada, sendo sua massa um dos critérios de desempate. A equipe vencedora seria aquela cuja ponte suportou maior carga.

De acordo com a ordem de entrega das pontes, cada equipe se apresentou, recebeu certificado de participação e, com muito nervosismo, torceram por suas pontes. Ao final do rompimento da ponte, aplausos. Expectativas foram superadas e emoção até o final: a ponte vencedora foi a última a ser rompida!

 

portico2

Pórtico preparado pelo PET Civil para ruptura das pontes.

EQUIPES VENCEDORAS

1º LUGAR: equipe “Unidos do XXIII”, do João XXIII (carga de ruptura: 7,910 kg)

Premiação: medalha de ouro, livro Manual do Mundo, um caderno e um kit com brindes da ArcelorMittal.

1

Parte da equipe UNIDOS DO XXIII.

2º LUGAR: “Pontes GIKSMY”, do Tancredo Neves (carga de ruptura: 7,392 kg)

Premiação: medalha de prata e um jogo de xadrez.

2

Alguns integrantes de PONTES GIKSMY.

 

3º LUGAR: equipe “Vamo Dali”, do Cosette de Alencar (carga de ruptura: 6,812 kg)

Premiação: medalha de bronze e caderno da ArcelorMittal.

3

Equipe VAMO DALI.

Durante o evento de ruptura, foram sorteados vários brindes da Arcelor, como chaveiros, canetas, camisas e também camisa da XII Olimpíada de Engenharia Civil.

premios

Prêmios para os três primeiros classificados.

 

FEEDBACK’S

 

  • Dos professores presentes:

“COMO UMA PONTE DE PAPEL AGUENTARIA TANTOS QUILOS?”, questionava Jerusa, professora do Cosette de Alencar que acompanhou seus alunos durante os dois dias de montagem e na ruptura. A princípio desacreditada, depois que viu o projeto da ponte, começou a acreditar nessa possibilidade. Jerusa achou o evento muito interessante e elogiou o empenho dos alunos participantes.

  • Dos pais:

“ELA ACREDITOU MUITO EM SI. ACHO QUE VALEU A PENA TODO O NERVOSISMO E PREOCUPAÇÃO.”, comentou Francisco, pai da ganhadora Juliana. Ele ficou entusiasmado com o evento e satisfeito por ter acompanhado sua filha. Por fim, agradeceu e completou: “É uma grande oportunidade para os alunos.”.

  • Dos alunos participantes:

A aluna Tatiane, do Tancredo Neves, que se mostrou interessada desde a divulgação nas escolas, vivenciou e superou os desafios propostos. No segundo dia, sua equipe se reorganizou, soube dividir bem as tarefas e conseguiu refazer toda sua ponte a tempo. Ela gostou muito e já está aguardando os próximos concursos.

“FOI BEM LEGAL A EXPERIÊNCIA DE FAZER ISSO. NA HORA, PENSEI QUE FOSSE MAIS FÁCIL.”, comentou Vanessa, integrante da equipe vencedora.

Segundo Juliana, outra integrante da equipe Unidos do XXIII: “Como eu gosto de matemática e quero fazer faculdade de arquitetura, me interessei muito. Na hora de fazer, tivemos nossas discussões, mas todos se ajudaram. Foi muito legal trabalhar em grupo.”.

Ambas concordaram que uma das partes mais difíceis foi colar cada barrinha. Essa dificuldade já era esperada em todos os grupos, uma vez que a atenção na montagem e as técnicas utilizadas são decisivas para uma ponte resistente. Para contornar essa situação, a equipe foi atenciosa, refizeram barrinhas que não ficaram boas e só montaram a ponte no segundo dia, esperando a cola secar.

primeiro-lugar

Equipe vencedora sendo premiada.

O PET Civil gostaria de agradecer a todos os envolvidos, em especial à ArcelorMittal, que possibilitou a realização e sucesso do nosso evento nessa primeira das muitas possíveis parcerias, e parabenizar todos os participantes do Concurso! Até o próximo!

todo-mundo-junto

Toda a galera que fez esse Concurso possível!

Para mais fotos da 3ª edição do Concurso de Pontes de Papel das Escolas, acesse: Álbum do Concurso

E ainda CONFIRA:

Reportagem do Tribuna de Minas: Concurso de pontes de papel reúne mais de 70 estudantes em JF

Site da ArcelorMittal: http://brasil.arcelormittal.com.br/

Site do Centro de Ciências da UFJF: http://www.ufjf.br/centrodeciencias/

Post sobre o I Concurso de Pontes das Escolas: aqui

Post sobre a XII Olimpíada de Engenharia Civil: aqui