Crise na construção civil: ainda há esperanças?

Há poucos anos atrás, ocorreu um “boom” no setor da construção civil no Brasil. As estatísticas animavam todos os envolvidos da área, principalmente os estudantes de Engenharia Civil. Em 2013, o número de engenheiros não era suficiente frente à elevada demanda de construções no país. Nem mesmo os mais pessimistas imaginariam que, 4 anos depois, a situação mudou completamente: há mais formandos do que emprego. Como ocorreu essa mudança repentina? Quais as causas? Aos alunos de engenharia, é aconselhável trocar de curso ou ainda há esperanças?

  • Principais mudanças

A realização da Copa do Mundo em 2014 e das Olimpíadas em 2016 fez com que fossem gerados muitos postos de trabalho no setor da construção. Além disso, o mercado imobiliário também estava aquecido nesses anos, confirmando a boa fase. Entretanto, não demorou muito para as mudanças ocorrem. Em 2013, o número de empregados na construção civil aumentou 87%. Já em 2015, o número de demitidos foi maior que o de empregados, como mostram as imagens retiradas de uma reportagem do jornal Bom dia Brasil:

BLOG2BLOG3

Imagens exibidas no jornal Bom Dia Brasil, elencando a diferença entre 2013 e 2015

  • Causas

Não é mais segredo para a população os esquemas fraudulentos em que as maiores empreiteiras participaram, arrecadando dinheiro ilegalmente. Essas informações vieram à tona com a Operação Lava Jato, o que fez com que essas empreiteiras fossem impedidas de fazer contratos com o setor público. Assim, a situação econômica dessas empresas foi bastante prejudicada, gerando desemprego e afetando diretamente a economia do país.

BLOG4

Charge de Jean Galvão elencando a situação do desemprego no país (jeangalvao.blogspot.com)

  • Possíveis soluções

A situação atual não é fácil, porém, não é irreversível. Segundo especialistas, o desenvolvimento do setor da construção civil está diretamente dependente de investimentos governamentais. Em fevereiro do presente ano, o governo anunciou mudanças no “Minha Casa Minha Vida”, que contará com a construção de mais de 600 mil moradias. Essa medida gerará muitos postos de trabalho e é vista como um primeiro passo para reaquecimento do setor. Evidentemente, as melhorias não ocorrem repentinamente, mas, com incentivos progressivos do governo, a situação poderá ser revertida.

  • Sou estudante de Engenharia Civil. Devo mudar de curso?

O número de engenheiros recém formados não para de aumentar e as vagas nas universidades seguem sendo preenchidas. Muitos desses engenheiros, saem dos bancos da faculdades e vão para os sofás de suas casas; entretanto, a solução para os estudantes, porém, não é largar o curso, mas procurar qualificação na profissão, buscando uma pós-graduação, mestrado e doutorado. Profissionais qualificados são procurados pelo mercado em qualquer situação. Especialistas dizem que há muitos profissionais há procura de um emprego, mas poucos são os que têm qualificação para ocupar determinado posto de trabalho.

BLOG1

O que se vê atualmente é o declínio de todas as estatísticas em relação ao setor da Construção Civil; entretanto, sabe-se que o desenvolvimento de um país depende desse setor, o que significa que há, sim, esperança para Engenheiros, Arquitetos, Pedreiros e tantos outros profissionais que têm nas obras o seu ganha pão.

Fontes: Mudanças, Melhorias

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s