Olimpíadas 2016: o legado para o país

     Com a proximidade dos Jogos Olímpicos no Rio, que terá inicio em 5 de Agosto de 2016, as noticias sobre término de obras e finalização de acabamentos demonstram a grandiosidade do evento e da infraestrutura necessária para sediar algo desse porte. Porém, para nós brasileiros, além das medalhes que esperamos ganhar, o que ficará de benefícios para a população, após dia 21 de agosto, último dia dos Jogos ?

     Com um gasto que superou 30 bilhões de reais, espera-se que a população possa usufruir de melhorias na qualidade de vida, principalmente os trabalhadores cariocas. Felizmente, podemos destacar alguns legados dessa Olimpíada, separando em alguns tópicos específicos: infraestrutura e transportes, questões sociais , questões ambientais e questões culturais.

Cidade-Olimpica-750x410

Infraestrutra e transportes

      O maior destaque da infraestutura é a revitalização da região portuária, agora chamada de Porto Maravilha. Ele constituiu o primeiro megaprojeto realizado no Brasil, com uma mudança incrível na região, comparada até a grande reforma urbana de Pereira Passos no início do século passado. Citaremos a reforma da Praça Mauá, e a demolição do Elevado da Perimetral, que deu um novo ar a região portuária, muito mais limpa e bela, sendo o trânsito local escoado pela Via Binário do Porto, também recente.

     A reforma do Galeão, que agora é administrada por uma nova concessionária  proporcionou maior conforto aos usuários e aos turistas, já que trata-se da principal porta de entrada para quem está chegando na cidade pela primeira vez. A ampliação da área de alimentação, garagem, píer e a mudança dos portões de embarque e desembarque prometem uma maior agilidade do serviço e bem estar dos passageiros.

      Na área de mobilidade, podemos citar o VLT e o BRT. O primeiro, Veículo Leve sobre Trilhos, é uma releitura dos antigos bondes, comuns no século passado. Modernizados, e abrangendo boa parte da área central, sua ligação com trens, metros, ônibus, o Aeroporto Santos Dumont, além de áreas estratégicas, promete facilitar a vida de quem depende de transporte público e busca maior conforto e agilidade em relação aos meios já existentes. Sua estética moderna chama a atenção, além de sua alimentação ser subterrânea, sem causar poluição visual.

       Já o BRT,  Bus Rapid Transit, possui um corredor exclusivo tendo funcionalidade semelhante ao VLT, encurtando distâncias e acelerando a viagem.  São dois, o Transoeste, liga o Terminal Alvorada, na Barra, até Santa Cruz e Campo Grande,  e até o Jardim Oceânico, com 58 km de extensão e 62 estações. Já o Transcarioca, que também se liga ao Transoeste, liga o Terminal Alvorada, na Barra, até o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, reduzindo em até 60% o tempo de viagem.

     Além disso, podemos citar a inauguração do Elevado do Joá, que tem finalidade de ligar a Zona Sul à Barra da Tijuca. São dois novos túneis, mais uma pista e a ciclovia Tim Maia, que a poucos meses foi tema de discussão após o desabamento de um trecho, deixando dois mortos.

Questões sociais

     O grande destaque desse tópico é a Arena do Futuro.  Trata-se de uma obra construída em arquitetura nômade, isto é, que pode ser montada e desmontada facilmente, após seu uso.  Após o uso esportivo, ela se transformará em quatro escolas estaduais, três na Barra da Tijuca e uma em São Cristovão. Serão mantidas a fachada, as escadas e rampas, as paredes, a estrutura metálica, entre outras.

     Além disso, a área livre da Cidade Olímpica será destinada ao lazer da população, assim como o Estádio Aquático, que será palco de formação de grandes profissionais, muitos deles saindo das periferias da cidade.

Questões ambientais

     Nesse tópico, ressaltamos a nova Estação de Tratamento de Esgoto na Zona Oeste, que trará o esgoto de sete bairros. Além da questão básica de saúde e higiene sanitária, mais de 60 milhões de litros deixarão de ser despejados diariamente na Baía de Guanabara,  um dos cartões de visita da cidade, extremamente poluída nos dias atuais.

     Em termos estéticos, a nova região portuária do Rio ganhou  15 mil novas árvores, melhorando a qualidade do ar da região e a visibilidade local, com uma cidade que tem reformulado seus valores.

03-foto

Baía Viva

Questões culturais

     Os dois novos presentes aos cariocas e visitantes são o Museu do Amanhã e o Museu de Arte do Rio (MAR). Recentemente o PET CIVIL visitou essas duas obras e retratou um pouco dos locais (leia o post). São construções que valorizam a cultura e acrescentam ao Rio pontos turísticos que mesclam entre obras humanas e obras naturais, uma completando a outra.

Fonte: VLT, BRTRIOgaleãoO Globo

Anúncios
Postado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s