Circuito Praça Mauá

No sábado 11 de junho, o grupo PET Civil UFJF realizou uma viagem ao Rio de Janeiro. Saímos de Juiz de Fora por volta de 5:30 da manhã e chegamos no Centro da capital fluminense perto das 10:00.13428553_1028369803898078_6120163319909648174_n13427978_1028369810564744_2112666165810159265_n (1)33b8806e-67bd-41aa-a25c-9c19a212c6ab

O objetivo principal da viagem era realizar uma visita técnica ao Museu do Amanhã, situado na Praça Mauá.2fc71b65-660e-427f-abb8-87ae4f615aa9

Logo na entrada, surpreende-se com a magnitude da estrutura metálica em balanço que serve de cobertura para os turistas durante a fila de entrada. Uma professora de arquitetura que estava realizando a viagem também explicou que a concepção da estrutura metálica de cobertura tem o design de modo a maximizar a captação de luz solar e, assim, gerar energia para o museu. Além disso, a construção, cerceada por espelhos d’água, remete a um navio que adentra o mar.

002e04e9-df23-420b-b01d-14173c563d1abeebcdad-cefa-4d1e-83ad-6861d3626a32

Nós petianos fomos uns dos primeiros a entrar e não enfrentamos muitas filas. A primeira atração foi um simulador, em que, deitados no chão, pudemos assistir a um vídeo de 8 minutos que versava sobre o Cosmos.  d80d19f7-3d75-454f-9f3b-fe6a0b6bcbf4

Em seguida, a exposição assumia um caráter extremamente tecnológico e interativo; entre ambientes na forma de cubos e bancadas eletrônicas, era possível absorver a mensagem passada pelas instalações. Dentre as atrações que mais chamaram a atenção, está o quiz em que era possível calcular a Pegada Ecológica de cada um e ver como seria possível reduzi-la.

No fim do andar superior, passamos por telas extremamente elevadas, da maneira dos anúncios da Times Square, nas quais vimos os impactos da ação humana no planeta como um todo; entramos na “Oca”, que representava a parte do “Nós” e, por fim, chegamos no mirante em que se via a Estrela do Amanhã, as águas da Baia de Guanabara e a Ponte Rio-Niterói.3a1c26bb-3fbe-42bf-a4bc-e15f956ab1526840e41f-5777-4dc6-8c7a-0a7c9ec26afa

No andar de baixo, estava ocorrendo a exposição de Santos Dummont com um cunho bem sofisticado: havia uma esteira ilustrada com mapas no centro e aviões suspensos que davam a ideia do movimento; além disso, cerca de 50 pequenos aviões moviam-se por engrenagens e roldanas ao redor de todo o teto; para os mais criativos tinha como fazer seu próprio aviãozinho de papel, subir uma escada e lançá-lo em uma pista de voo.49b854f3-9231-4662-a784-48affe3b5818

Aproveitamos o intervalo para saborear um Food Truck na própria praça e, logo depois, fomos no Museu de Arte do Rio, ainda na praça. O MAR é intrigante; uma cobertura única em forma de ondas interliga dois prédios e remete ao movimento das águas. Pudemos ter contato com as exposições que ocupavam 4 andares. Essas tinham um cunho mais literato e, através de palavras ou artes visuais, passavam mensagens pertinentes. Uma em particular que chamou a atenção foi a que abordava a questão da violência na cidade e algumas das cenas exibidas eram bem fortes e faziam o público refletir bastante sobre a realidade.be1bf176-8558-47b3-b54a-bb0566cd2827

Ao fim da segunda visita, ficamos esperando a van de retorno sentados na Praça Mauá enquanto os jovens andavam de skate e uma banda de rua ecoava ao longe.

3dcb86f9-51f4-4b66-95b2-3ed3a261ea5a

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s