Os 10 Pilares do Gerenciamento de Risco

Os pilares da Gestão de Risco aqui apresentados são utilizados como fundamentos para qualquer Programa de Gerenciamente de Risco que for lido no mercado de trabalho. Esses pilares foram elaborados por Engenheiros a fim de que os programas tenham objetivos e abordagens bem definidas. Os 5 primeiros pilares dizem respeito à engenharia e a sua posição na corporação, enquanto os outros 5 cercam o gerenciamento de um projeto. Vamos aos 5 primeiros pilares:

1. Cultura

Crie uma cultura de gestão de risco e prevenção de sinistros.

Significa incutir na sua empresa como uma parte vital de sua prática de negócios uma visão sobre controle de qualidade e gestão do risco. Esta visão deve tornar-se um valor fundamental da empresa, salientando a importância da gestão de risco para todos os envolvidos, bem como as consequências de ignorar isso. Criar essa cultura requer um Planejamento Estratégico e Operacional. Deve envolver todos os níveis da equipe, inclusive clientes. Qualidade deve prevalecer sobre os lucros. Quando é estabelecido qualidade, os lucros tendem a seguir.

2. Prevenção e Proatividade

Aja com técnicas de prevenção, e não tente apenas reagir.

Desenvolver processos e sistemas dentro da empresa com a prevenção de riscos em mente. O planejamento pode identificar potenciais fontes de risco, e a intervenção correta pode diminuir a gravidade dos acontecimentos. Quando o risco é identificado, um plano deve ser desenvolvido para alterar as condições que levam a esse risco, ou evitar o risco completamente. Claramente, alguns eventos acontecem sem aviso, e temos de reagir. Ter um plano permite uma ação rápida para minimizar os danos que estes eventos podem causar. Um exemplo disso seria ter um plano em prática para lidar com um contratante que quer reduzir o custo pedindo para eliminar serviços. Você tem um plano que lhe permitirá responder prontamente a esse pedido de uma forma que minimize o seu risco?

3. Planejamento

Planeje para se livrar dos imprevistos.

Projetos sem imprevistos não acontecem por acaso, eles exigem um planejamento adequado. O planejamento estratégico contribui para a redução dos imprevistos, levando em consideração itens como contratação  e retenção de pessoal, características do cliente, tipo de projeto, programas de treinamento e programas de garantia de qualidade. Um plano de trabalho deve focar em áreas que contribuem para a redução de riscos, tais como o fluxo de informações, vias de comunicação, negociações de contrato, e definição do escopo. Um plano eficaz, deve ser simples, funcional, e prontamente transmissíveis. O processo deve estar claro para todos os envolvidos, assim como a sua execução. Aliado com o monitoramento das atividades, tudo se encaminha para um projeto sem imprevistos.

4. Comunicação

Comunique-se para conhecer as expectativas e trazer para a realidade.

Os problemas de comunicação são bem conhecidos. Quando todas as partes em um projeto falam suas expectativas e visões é possível resolver e alinhar qualquer diferença que exista inicialmente. Para ser eficaz, a comunicação deve fluir em todas as camadas de atividades do projeto, de modo a que todas as partes sejam informadas. Um bom planejamento levará a uma boa comunicação. Todas as partes devem concordar sobre as formas e diretrizes de comunicação no início do processo. É fundamental desenvolver ferramentas para auxiliar o processo de comunicação, tais como registros de correspondência, gravação de conversas por telefone e protocolo de e-mail.

5. Treinamento

Treine todos da sua equipe para os seus respectivos trabalhos.

O treinamento adequado é a base para se esperar resultados adequados em qualquer campo de trabalho. Engenheiros que possuem uma maior experiência devem de passar seus conhecimentos para a sua equipe. Como profissionais, os engenheiros possuem a confiança de clientes para alcançar objetivos. Experientes profissionais de engenharia desenvolvem habilidade em muitos campos que atuam na gestão de riscos tais como negociação, comunicação e planejamento. Essas habilidades devem ser passadas para os funcionários menos experientes para que todos possam contribuir para gestão de riscos.

Espero que possam utilizar o Gerenciamento de Riscos de forma proativa em sua vida pessoal e profissional,
Para ficar por dentro dos outros 5 pilares, que dizem respeito ao início de um projeto, fique de olho no Blog do PET Civil.

Fonte: CivilEngineer

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s