Visita técnica – Metrô Rio

 

destaque-sobre

No dia 9 de novembro de 2014 o grupo PET Civil foi ao Rio de Janeiro-RJ visitar o Metrô Rio, empresa concessionária do metrô carioca responsável pela administração, operação e manutenção da rede metroviária. A visita técnica foi composta por uma palestra, tendo como tema principal o Planejamento de Transportes, e uma visita ao canteiro de obras da futura estação Antero de Quental, na Linha 4 Sul em Ipanema.

Com o projeto das linhas de metrô criado em 1968, em 1979 foram construídas as primeiras estações: Presidente Vargas, Central, Praça Onze, Uruguaiana e Carioca; e com início das atividades em 5 de abril de 1998. Atualmente, o Metrô Rio transporta mais de 1 milhão de pessoas por dia.

mapas

A palestra foi ministrada pelo engenheiro Diego Garcia que trabalha na área de inteligência de mercado, realizada na central do Metrô Rio. Além de ser contada a história e evolução da empresa, foram citados vários estudos que são executados para aumentar a eficiência do planejamento de transportes, tais como o acompanhamento de demanda pelo transporte metroviário; o calendário de dias operacionais, pois dias úteis e feriados possuem demandas diferenciadas; horário de trabalho, que explica o porquê do horário do final da tarde ter maior demanda do que o da manhã; acompanhamento de datas especiais e megaeventos, como o carnaval, réveillon, a Jornada Mundial da Juventude e a Copa do Mundo; tempo de viagem; estudo de fluxo dentre outros. Pudemos também visualizar o Centro de Controle Operacional (CCO), onde são analisadas e monitoradas todas as estações e trens da rede.

Em Ipanema, visitamos primeiro a estação de Jardim de Alah, onde assistimos um vídeo institucional do Metrô Linha 4 Sul, e fizemos um tour pelo estande interativo. Já na estação de Antero de Quental fomos recebidos pelo engenheiro Fábio, formado em Engenharia Civil pela UFJF. Ele explicou o método construtivo empregado (Cut-And-Cover) para a construção da linha: primeiro é realizado o Jet Grouting, que consiste em perfurar o solo até a cota do projeto e preencher colunas de concreto para impermeabilizar o solo que irá receber a laje inferior.

tatuzão-por-inteiro

Em seguida é colocada a parede de diafragma, que irá conter os esforços de empuxo do solo. Após ser construída a laje superior o trânsito já é liberado, e depois é construída uma laje intermediária que funciona como uma escora para ajudar o diafragma a combater os esforços. Por fim realiza-se o restante da escavação até as colunas de concreto do Jet Grouting, e construída a laje inferior que irá receber o TBM: o túnel está sendo escavado por essa máquina (mais conhecida como “Tatuzão”) que é equipada para perfurar, coletar e expedir solo, areia e rocha; além de ser capaz de escorar o túnel com aduelas de concreto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para mais informações acesse aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s