Copa do Mundo FIFA 2014 – Obras em São Paulo e Natal

petcivil_na_copa

Depois de conhecer todos os dados gerais sobre as obras e a copa em si, vamos trazer toda semana, informações detalhadas sobre as principais obras realizadas nas cidades-sede da Copa do Mundo 2014. Para visualizar o post introdutório acesse aqui.

São Paulo

Atualmente a cidade de São Paulo é considerada uma metrópole global. Com os melhores serviços do país, ela abriga mais de 11 milhões de pessoas e recebe mais de 90 mil eventos anuais. O espaço cultural da cidade é vasto, com diversos cinemas, museus, centros culturais, teatros e casas de espetáculos.

  • Arena Corinthians

Arena Corinthians

Após o veto da Fifa ao estádio do Morumbi, a arena do Corinthians se tornou a opção de São Paulo para 2014. O projeto do escritório carioca CDCA prevê 65 mil lugares em área de 200 mil m² no bairro de Itaquera.

A remoção dos dutos da Petrobrás que atravessavam o subsolo do terreno foi necessária para concluir a terraplenagem, e enquanto esta era realizada, foram instaladas 3300 estacas de 15 metros cada para formar a fundação da estrutura. Após a montagem das arquibancadas, começou em outubro de 2013 a instalação dos módulos da cobertura do estádio. Cada peça metálica tem 120 toneladas; foram 33 ao todo. Segundo a Odebrecht, os módulos foram colocados toda semana, um por vez.

Custo: R$ 820 milhões

Contrato: Privado

Construção e operaçãoOdebrecht

Financiamento: Construtora poderá captar até R$ 420 mi em Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs) da prefeitura para isenções fiscais

Capacidade: 48 mil assentos fixos e 17 mil provisórios

Estacionamento: 3,5 mil vagas

Arquibancadas removíveis: Entre R$ 50 e R$ 70 mi (a ser licitado)

Remoção dos dutos da Transpetro: R$ 10 milhões

Inauguração: 15 de abril de 2014

Acidentes: No total foram três mortes no decorrer da construção do estádio. Dois homens morreram em novembro de 2013 com um desabamento de um guindaste, e um outro trabalhador morreu ao cair de uma altura de oito metros.

Fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

  • Monotrilho Linha 17-Ouro do Metrô

monotrilho_da_linha_17-ouro,_em_sao_paulo

Projeto foi concebido para ligar o Aeroporto Internacional de Congonhas ao bairro do Morumbi (zona sul), conectando importante área hoteleira.

Com 17,7 km de extensão, trajeto vai integrar as linhas 1, 4 e 5 do metrô, e também linha 9 de trens da CPTM. Para 2014, apenas trecho de 7,7 km será inaugurado, e o restante deve estar em funcionamento em 2016.

Contrato foi assinado em junho de 2011, mas obras começaram apenas em março do ano seguinte, já que o Governo teve problema com a emissão de licença e a elaboração de projetos e estudos.

Custo: R$ 3,108 bilhões

Contrato: Público (Estado de São Paulo)

Consórcio Monotrilho Integração: Scomi, Andrade Gutierrez, CR Almeida e Montagens e Projetos Especiais

PAC da Mobilidade Urbana: Obra tem empréstimo de R$ 1,082 bilhão da CEF

Capacidade: Linha completa poderá transportar 252 mil usuários por dia

Estações: São 18 estações no total. Jardim Aeroporto, Congonhas, Brooklin Paulista, Vereador José Diniz, Água Espraiada, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi estão previstas para 2014

Acidentes: Até hoje, houve a queda de uma viga em junho de 2014, matando um operário

Fotos:

 

  • Aeroporto André Franco Montoro (Guarulhos/Cumbica)

Aeroporto de Guarulhos

A obra consta com a ampliação e revitalização do sistema de pista e pátio, construção da pista de táxi e de saída rápida, construção do 3° terminal de passageiros e construção do terminal 4.

Custo: R$ 1,92 bilhões

Contrato: público-privado (Infraero: 503,4 milhões; Concessionária: R$ 1,42 bilhão)

Fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Natal

Belas praias e dunas atraem anualmente mais de dois milhões de turistas brasileiros e estrangeiros à Natal, e por conta do ar puro e do clima privilegiado, a capital do Rio Grande do Norte ficou conhecida como “Cidade do Sol”. Com mais de 800 mil habitantes, a cidade passa atualmente por um crescimento demográfico e imobiliário que fortalecem a economia local.

  • Estádio das Dunas

 

Estádio das Dunas2

Antes (à esquerda) e depois (à direita).

A licitação foi concluída em 11 de março de 2011, com a escolha da construtora OAS para realizar as obras e gerenciar o estádio, e para isso a empresa contará com o apoio da Amsterdam Arenas. O projeto básico foi concebido pela empresa internacional Populous Architects e a licitação definiu o prosseguimento do projeto executivo. O estádio apresenta arquibancadas flexíveis que permitirão remover parte dos 45 mil assentos do estádio.

Inicialmente a obra contou com a demolição do estádio Machadão e do ginásio Machadinho, com quase toda a terraplenagem concluída. Assim como no Itaquerão (Arena Corinthians), a fundação foi feita com 3300 estacas.

Custo: R$ 350 milhões

Contrato: PPP

Construção e operaçãoOAS

Capacidade: 42 mil assentos

Conclusão das obras: 2013

Acidentes: Um operário morreu ao cair de uma altura de mais de cinco metros.

Fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

  • Reestruturação da Av. Eng. Roberto Freire

Av Eng Roberto Freire

O projeto para adequação da capacidade e dos níveis de serviço da RN-063, conhecida como Av. Engenheiro Roberto Freire, faria com que a via passasse a ter dez faixas, sendo cinco em cada sentido. Túneis e passarelas para pedestres seriam construídos, do viaduto de Ponta Negra até a entrada do Conjunto de Ponta Negra.

A obra, no entanto, foi retirada da Matriz de Responsabilides da Copa em dezembro de 2012. É que o governo potiguar admitiu que não haveria prazo suficiente para entregar a reestruturação até 2014, e, portanto, migrou a obra para o PAC Mobilidade das Grandes Cidades.

Custo: R$ 221,7 milhões

Construtora: Thenge Engenharia LTDA

PAC da Mobilidade Urbana: Obra tem empréstimo de R$ 45,3 milhões da CEF

 

  • Aeroporto São Gonçalo do Amarante

Aeroporto São Gonçalo do Amarante

Projetado para ser o maior aeroporto da América Latina e o sétimo maior do mundo, São Gonçalo do Amarante vem sendo pensado desde 2007 para a Copa do Mundo, mas só em 2009 as obras efetivamente começaram.

Os trabalhos são divididos em duas partes: da primeira etapa cuida a Infraero, e da segunda  fica responsável o consórcio Inframérica, formado pela construtora Engevix do Brasil e pela empresa argentina Corporación América, vencedor da concessão.

A primeira fase da obra realizou desmatamento, terraplenagem, pavimentação, drenagem, proteção vegetal, implantação dos sistemas de pistas e pátios, e infraestrutura dos sistemas de auxílio e proteção ao vôo. Já a segunda fase conta com a construção do terminal de passageiros, sistema viário de acesso e obras complementares.

Custo: R$ 792,55 milhões (Infraero: R$ 174,44; Concessionária: R$ 618,11 milhões)

Contrato: público-privado

Fotos:

 

 

 

Fontes: Uol, Portal 2014, G1, BBC Brasil, Ig, Fotos Públicas.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Copa do Mundo FIFA 2014 – Obras em São Paulo e Natal

  1. Pingback: Copa do Mundo FIFA 2014 – Arena Fonte Nova e Arena da Amazônia | PET Engenharia Civil - UFJF

  2. Pingback: Copa do Mundo FIFA 2014 -Estádio Mário Filho (Maracanã) e Estádio Joaquim Américo (Arena da Baixada) | PET Engenharia Civil - UFJF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s