Patologias em edificações

O que são e por que elas ocorrem?

Quem nunca se deparou com um construção extremamente recente e que apresentasse rachaduras aparentes, infiltrações ou outros sinais de desgaste? Pois é, esse tipo de problema não ocorre somente devido ao desgaste das edificações em função do tempo. Em alguns casos, com extrema rapidez, falhas na execução ou outros motivos podem causar danos precoces.

Esses danos são as chamadas patologias, que são manifestações que ocorrem durante o ciclo de vida de uma edificação. Elas prejudicam o desempenho esperado do edifício e de suas partes (subsistemas, elementos e componentes). Assim, uma patologia pode ocorrer seja na estrutura, na vedação ou nos componentes de abastecimento. As principais patologias da construção são a umidade, as fissuras, o descolamento de rebocos e pisos e a carbonatação.

Sem títuloA origem dessas falhas pode ser:

  • No projeto ineficiente;
  • Falhas de execução;
  • Má qualidade dos materiais empregados;
  • Má utilização dos edifícios pelos usuários.

Por isso, a importância de estudar as patologias das construções, só assim podemos ter conhecimento das causas dos problemas e saber como evitá-los.

Umidade

Na construção civil, os defeitos mais comuns são decorrentes da penetração de água ou devido à formação de manchas de umidade. Esses defeitos geram problemas bastante graves e de difíceis soluções, como:

  • Prejuízos de caráter funcional da edificação;
  • Desconforto dos usuários e em casos extremos os mesmos podem afetar a saúde dos moradores;
  • Danos em equipamentos e bens presentes nos interiores das edificações;
  • E diversos prejuízos financeiros.

Os problemas de umidade podem se manifestar em diversos elementos das edificações, geralmente eles não estão relacionados a uma única causa.

 Tipos de danos causados pela umidade relacionados à origem:

  • Infiltrações no telhado: são provocados geralmente pela água da chuva. Isto se deve ao fato das coberturas de telhas apresentarem muitos vazamentos no sistema de escoamento dessas águas pluviais (calhas e tubos de queda) ou no próprio telhado;
  • Vazamentos na rede pluvial: são bastante comuns os vazamentos em calhas, condutores, algerozes e outros aparelhos que são utilizados com a finalidade de se coletar a água vinda de chuvas. Estes vazamentos são manifestados através de manchas nos forros ou paredões que lhe ficam abaixo, assim como por goteiras;
  • Vazamentos em lajes de cobertura e terraços: o grande problema que contribui para vazamentos em lajes de cobertura e terraços é o defeito na impermeabilização. A impermeabilização neste caso é mal feita ou nem se quer foi realizada.
  •  Manchas e bolor: Como efeito secundário das infiltrações podem surgir eflorescências, que são as populares “marcas de bolor”. As manchas são normalmente brancas e se acumulam sobre a superfície danificando a estética dos acabamentos. Para evitar as eflorescências deve-se utilizar cimento CP IV (pozolânico) ou cimento tipo RS (resistente a sulfatos). Outra forma de conter a eflorescência é utilizar rejuntes impermeáveis. Mas, acima de tudo, é preciso detectar a origem do problema, que pode ser vazamento de canos, umidade de terrenos, ou penetração por meio de rejuntes mau aplicados.
  • Vazamentos em pisos e paredes: a umidade em paredes e pisos pode se originar de vazamentos pela ruptura de canalizações de água fria, quente, esgoto pluvial; pela penetração de água da chuva e pela percolação de água oriunda do solo, por ascensão capilar. Nesse caso, um sintoma decorrente também será a eflorescência nas áreas afetadas.

 O que fazer?

A umidade é uma das patologia das edificações mais difíceis de serem corrigidas, pois ela é ocasionada por um fenômeno natural, a chuva, assim, mesmo que seja corrigida ela pode reaparecer. Mas nem tudo está perdido! Hoje existe uma quantidade enorme de produtos para impermeabilização. Contudo é preciso lembrar que não adianta tratar os sintomas da umidade sem resolver o problema na origem, se o caso for um vazamento por exemplo, é preciso estancá-lo. Já se a água for proveniente do solo, uma boa alternativa pode ser fazer a drenagem. A drenagem irá remover a água em excesso contida no solo, devendo coletar, conduzir e posteriormente lançar em local adequado, evitando que a água entre em contato direto com a estrutura. 

Para evitar uma dor de cabeça futura é importante fazer o uso de impermeabilizantes, sem seu uso preventivo a umidade sempre aparecerá em uma construção. O impermeabilizante pode ser incorporado à argamassa, outra opção é o uso de  manta asfáltica em toda a extensão da alvenaria. Uma coisa é certa, nesse caso é melhor prevenir que remediar, com certeza você poupará tempo e gastos!

 

 Fontes: Obras em condomínios, IBDA, Patologia das construções, IBAPE

Anúncios

2 pensamentos sobre “Patologias em edificações

  1. Pingback: Fissuras em edificações | PET Engenharia Civil - UFJF

  2. Pingback: Descolamento de rebocos e pisos | PET Engenharia Civil - UFJF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s