Visita cultural: Inhotim

IMG_0845

             No dia 23 de fevereiro, o grupo do PET Civil esteve em Inhotim, localizado na cidade de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte.

             Considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina, o Inhotim é um espaço singular. Conta com uma extensa área de preservação ambiental, ponto de encontro entre o cerrado e a mata atlântica. E possui 100 hectares de área aberta a visitação, com jardins, galerias, edificações e cinco lagos ornamentais.

              O parque foi idealizado em meados de 1980 pelo empresário Bernardo Paz, dono da mineradora Itaminas. Vem, desde então, se transformando. Possui atualmente 70 obras em exposição, que se dividem entre trabalhos permanentemente instalados e aqueles expostos em quatro galerias, que abrigam mostras temporárias de longa duração.

            A proposta museológica do Inhotim compreende diferentes espaços expositivos. Muitas obras estão expostas ao ar livre, em meio ao jardim, imersas na mata, no topo de uma montanha, ou sobre um espelho d’água. Outros trabalhos se encontram em espaços fechados, exibidos individualmente em pavilhões com uma arquitetura singular, construídos especialmente para abrigá-los, ou compondo mostras coletivas em grandes galerias. A coexistência de espaços abertos e fechados promove uma experiência singular de fruição da obra de arte.

             O interessante no Inhotim é justamente esses diferentes espaços. Caminhando pelo parque, você se depara, por exemplo, no meio de uma trilha com a Galeria Adriana Varejão. Criado para abrigar obras da artista, é um prédio semelhante a uma caixa de concreto, que cobre um espelho d´água, refletindo a bela paisagem ao redor.

Galeria Adriana Varejão

Galeria Adriana Varejão

            Outro espaço impressionante é a instalação “De Lama Lâmina”, do artista Matthew Barney. Após percorrer uma trilha sinuosa em meio a uma floresta de eucaliptos, o visitante se depara com dois impressionantes domos geodésicos de aço e vidro acoplados um ao outro. Um cenário digno de Lost. Dentro dos domos, está um gigantesco trator que ergue uma árvore feita de resina, o que faz o visitante refletir sobre como foi a montagem dessa obra.

De Lama Lâmina

De Lama Lâmina

             A obra Beam Drop (beam – vigas/ drop – jogadas) de Chris Burden, com certeza é uma das mais impressionantes. Localizada no alto de uma montanha, possui 71 vigas de construção lançadas aleatoriamente de um guindaste a 45 metros de altura dentro de uma vala cheia de concreto, criando um efeito super interessante.

Beam Drop

Beam Drop

               A Galeria Cosmococa é, à primeira vista, opressor e impactante. Vários volumes de pedra situados em um desnível e que de certo modo modo nos lembram algo bruto, que parece ser sufocante por dentro. Não há respiro, nem fachada principal, apenas paredes de pedra em diferentes níveis e em ângulos retos. Lá dentro, um ambiente labiríntico, com salas onde é possível ter experiências sensoriais.

Galeria Cosmococa

Galeria Cosmococa

             Com acesso por uma trilha isolada no meio da floresta e situado no alto de um morro, Sonic Pavilion é uma construção dentro da qual o espectador ouve uma transmissão contínua de sons emitidos a centenas de metros no interior da Terra e captados por microfones geológicos. A obra examina algo que seria, de outra maneira, imperceptível.

Sonic Pavilion

Sonic Pavilion

             Forty Part Motet, de Janet Cardiff, reproduz uma composição feita para a Rainha Elizabeth 1ª, em 1575, cantada por 40 vozes. Utilizando microfones individuais, Janet Cardiff gravou cada integrante do coral da Catedral de Salisbury, que são reproduzidos em um alto-falante para cada voz, o que permite ao espectador ouvir as diferentes vozes e perceber as diferentes combinações e harmonias à medida que percorre a instalação. Ficando no centro, você escuta a composição em conjunto, caminhando junto as caixas, você ouve cada participante do coral. Maravilhoso!

Forty Part Motet

Forty Part Motet

              São várias galerias, paisagens maravilhosas, prédios com arquitetura inacreditável… Inhotim é impressionante. Um lugar para ser visitado mais de uma vez para ser apreciado por completo.

             É possível comprar o ingresso pelo site do próprio Inhotim, e é possível utilizar o transporte interno do parque para se deslocar de uma galeria para outra, já que o lugar é muito extenso. Mais informações no site www.inhotim.org.br

Fonte: Inhotim, Blog Vambora

Anúncios

Um pensamento sobre “Visita cultural: Inhotim

  1. Inhotim e um lugar muito legal.pena que tem GENTE GEGUE QUE ACHA QUE O INHOTIM E LA EM BELO HORIZONTE.SO POR QUE A CAPITAL DE BRUMADINHO E A DE BELO HORIZONTE.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s