Diário de Bordo 2 – O dia a dia Francês

Bonjour a todos, já se passaram dois meses que estou na França e muita coisa aconteceu desde meu último post. Agora vou colocá-los a par das novidades e do meu dia a dia.

A Universidade

Como já havia falado antes, estudo na Universidade de Cergy-Pontoise e nas primeiras semanas já descobri que o sistema de ensino na França possui algumas diferenças em relação ao brasileiro. Aqui o ensino é dividido em três anos de “Licence” e dois anos de “Master”. Eu estou cursando o terceiro ano de licence. Aqui quando você termina a Licence você já ganha um diploma e se você quiser já pode trabalhar ou continuar seus estudos para se tornar engenheiro. Além disso, muitos alunos que estão cursando licence 3 comigo vieram de outros dois outros tipos diferentes de formação (DUT – Diplôme Universitaire Technologique – ou BTS – Brevet de Technicien Supérieur), que são como uma “formação técnica”. Por isso um mesmo semestre é subdividido em 3 períodos: harmonização (onde as turmas são separadas de acordo com o tipo de formação cursado), tronco comum e matérias especificas.  Outra diferença é que as todas as matérias possuem aulas teóricas (TD) e aulas práticas (TP) que são divididas em grupos (TD 1, TD2…), então as salas possuem poucos alunos (10 mais ou menos). Aqui os alunos também tem que escolher entre inglês ou algum esporte como créditos livres para cursar. Bem, eu vou cursar 6 matérias ( Résistance des matériaux, Matériaux de Construction, Technologie de la Construction, Expression, Organization de chantier et Etude de prix, Informatique). Mas, como nem todas são ministradas ao mesmo tempo, não fica muito puxado. O estágio aqui não é realizado no fim do curso e sim todos os anos. No fim do ano letivo (por volta de maio do ano que vem), todos teremos que realizar um estágio de pelo menos 7 semanas. Nesse período, as aulas já vão ter acabado e no fim é preciso apresentar um trabalho oral para ser avaliado.

Sobre as matérias que estou cursando, tem duas em especial que estou gostando mais. Uma é Expression, que tem como objetivo nos preparar para encontrar um estágio, se portar em uma entrevista de emprego, para fazermos um Currículo Vitae, uma carta de motivação, etc. Essa matéria é muito útil, ainda mais para mim, que estou aprendendo francês. A outra é Technologie de la Construction, que tem como objetivo mostrar as diversas técnicas de construção, apresentar os equipamentos, e ensinar como é organizado um canteiro de obras. É uma matéria bem difícil, no primeiro dia de aula não consegui entender quase nada que a professora dizia, tem muitos termos técnicos, mas é uma matéria que tem um lado bem “pratico”. Na aula prática (TP), foi nos dado no primeiro dia a tarefa de procurar por conta própria uma construção para acompanhar e depois prepararmos uma apresentação.

Bem, o dia a dia na faculdade é bem prático, nós temos um cartão de crédito estudantil que usamos para pagar o RU (RestoU), o cafeteria, impressão, cópias. E é tudo automático, as copiadoras ficam espalhadas do corredor ou na biblioteca e você mesmo vai lá e opera.

Aliás, mesmo fora da faculdade a maioria desses serviços são assim. Por falar em RestoU, aqui o prato custa 3,5 euros e você tem direito a um queijo ou iogurte, um pão, uma salada, uma sobremesa, e um prato quente (geralmente legumes e carne). O que eu mais gosto são as sobremesas, nossa tem uns 7 tipos pra você escolher, mas em compensação, sinto falta do arroz e feijão de todo dia (muito estranho comer só peixe com legumes). Ah, mas caso você não goste da comida, é possível escolher um prato especial (que tem um preço especial também) como hamburger, batatas fritas, pizza,etc.

 Convivência

Durante esses dois meses eu tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas legais. A princípio o primeiro contato foi com os estrangeiros que também estavam fazendo intercâmbio, como eu. Pude conhecer muitas culturas diferentes. Uma vez, fizemos um jantar brasileiro junto com umas amigas chinesas e quando eu perguntei se tinha alguma coisa que elas não comiam, elas disseram naturalmente: “sim, eu só não gosto de serpente”.

Também fui convidada a ir a um jantar na casa da família de uma amiga africana, a comida é muito parecida com a nossa (arroz, feijão, frango assado, salada, estava me sentindo no Brasil), e no fim eles começaram a discutir sobre as várias tribos da áfrica, quem deu origem a quem, que era melhor que quem, as diferenças físicas, culturais… e eu não estava entendendo muita coisa. Mas enfim, a impressão que tenho até agora é que apesar das diferenças culturais, depois que conhecemos as pessoas de perto, vimos que não há tanta diferença assim. Por exemplo, na China as pessoas não tem o costume de se cumprimentar com toque, nem mesmo com aperto de mão, mas uma vez minha amiga chinesa me deu um abraço sem eu pedir nem nada (fiquei muito feliz).

Quanto aos franceses, todo mundo (até eles mesmos) pensam que eles são frios, mas até agora eu não vi nada disso, todo mundo com quem falei foi legal e educado. Na verdade, acho que as coisas estão mudando de uns tempos pra cá, porque até mesmo as formas de tratamento não são tão rígidas, entre os jovens a gente usa o ‘tu’ mesmo, ‘vous’ é mais entre os mais velhos, professores e pessoas que você não conhece na rua. Mas sempre tem bonjour, merci, de rien, s’il tu plait, isso é obrigatório. Na faculdade, como tem essas diferenças de turmas e cada um tem aula em um horário, acaba que o pessoal não é muito enturmado, e tem muita gente que estuda e trabalha também, então a amizade fica mais na sala de aula mesmo. Mas tem muitos lugares pra se enturmar: tem um grupo chamado GEOMOV que é tipo um Diretório Acadêmico, mas voltado para os estrangeiros, também tem o ERASMUS, que faz festas todas as semanas (ou dias) para os estrangeiros, tem várias associações de teatro, dança, música, arte, esporte, enfim, tem pra tudo quanto é gosto. Mas é verdade que para fazer amizade é você quem tem que tomar a iniciativa.

Para inaugurar o apê novo, os franceses fazem uma festa chamada Pendaison de crémaillère, na festa que eu fui, todo mundo tinha que se fantasiar com algo que começasse com as letras dos nomes dos moradores (L, M e C). Eu fui de Mouton (ovelha). Nessas festas já deu pra ver uma diferença, enquanto no Brasil é cerveja e salgadinhos aqui o que tem pra comer é pão, queijo, tiras de cenoura pra passar no patê (meio estranho, mas fica bom), e claro, vinho, sempre.

Bem é isso, estou adorando minha estadia aqui e a cada dia aprendo coisas novas, espero ter ainda mais novidades no próximo post.

Até a próxima!

Por Fernanda Moreira

Anúncios

2 pensamentos sobre “Diário de Bordo 2 – O dia a dia Francês

  1. Fernanda,adorei a sua redação eo conteudo.Vc é madura e ponderada.Como professora de História adoro as informaçoes vivenciadas por brasileiros.Sucesso!

  2. Pingback: Diário de Bordo 2 – Porque o Reino Unido é referência na Educação « Pet Civil – UFJF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s