PET Sem Fronteiras – As incríveis construções de Londres

Olá! Meu nome é Júlia, sou egressa do PET Civil UFJF e participante do Programa Ciência Sem Fronteiras. Vim passar 1 ano na Universidade de Brunel, na Grande Londres, e espero poder compartilhar com vocês um pouco da experiência e dos ensinamentos que tenho obtido por aqui.

A Grande Londres

Londres (London) é a capital e a maior e mais importante cidade da Inglaterra e do Reino Unido. Por dois milênios, foi um grande povoado e sua história remonta à sua fundação pelos romanos. O centro de Londres, a antiga City of London, também conhecida como The Square Mile (“a milha quadrada”) ou The City, mantém suas fronteiras medievais. O nome Londres ou Grande Londres se refere à metrópole desenvolvida em torno desse núcleo.

Londres é um dos mais importantes e influentes centros financeiros do mundo. Possui forte influência na política, finanças, educação, entretenimento, mídia, moda, artes e cultura em geral, o que contribui para a sua posição global. É um importante destino turístico para visitantes nacionais e estrangeiros. Londres sediou os Jogos Olímpicos de Verão de 1908, 1948 e 2012. A metrópole possui 4 Patrimônios Mundiais: a Torre de Londres, o sítio do acordo histórico de Greenwich, o Royal Botanic Gardens – Kew e o sítio que compreende o Palácio de Westminster, Abadia de Westminster e a Igreja de Santa Margarida.

Londres tem uma gama diversa de povos, culturas e religiões e mais de 300 idiomas são falados em seu território. Sua área urbana tem uma população de mais de 8 milhões de habitantes. O Metrô de Londres, administrado pela Transport for London e conhecido mundialmente como Underground, é a mais extensa rede ferroviária subterrânea do mundo.

Impressões de uma Brasileira

Um dos pontos mais marcantes ao se chegar em Londres é realmente a diversidade cultural. Vê-se pessoas de todos os tipos, trejeitos e costumes. Já no aeroporto fomos recebidos por 3 alunos de Brunel: uma nigeriana, uma tailandesa e um checo. E no primeiro dia de passeio, a língua que menos se ouvia era o inglês.

No primeiro passeio na metrópole é possível perceber que prédios históricos, muitos tombados pelo patrimônio nacional, convivem em uma inesperada harmonia com arranha-céus e edifícios de design arrojado. Na foto acima, é possível ver o mais alto edifício da capital, o The Shard, se erguendo ao fundo da tradicional City of London. O contraste entre o novo e o antigo aqui é bem acentuado e presente em todos os lugares, até mesmo na cultura dos moradores.

A Engenharia local é um caso à parte e seriam gastos cerca de 10 mil artigos no blog para abordá-la em toda a sua grandiosidade. Muitos séculos de exploração colonial e boa administração de recursos, aliados ao espírito inovador dos célebres engenheiros locais resultaram em obras de grande ousadia e beleza.

Um dos exemplos dessas grandes obras inglesas é a Tower Bridge.

A Tower Bridge

Participantes do Programa Ciência Sem Fronteiras: Arthur Reis, Julia Mendes, Lourival Castro, da UFJF e Jessica Oliveira, da UFRN.

A Tower Bridge é uma ponte basculante construída sobre o Rio Tâmisa. Foi inaugurada em 1894 e, atualmente, é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade, além de ser conhecida como uma das pontes mais famosas do mundo. Sua construção durou 8 anos e empregou 432 operários, sob fortes condições adversas.

Quando foi construída, a Tower Bridge foi a  maior e mais sofisticada ponte basculante já concluída (“báscula” vem do francês para “gangorra”). Estas básculas eram operadas por sistemas hidráulicos, usando vapor para acionar os enormes motores de bombeamento.

Fatos curiosos sobre a Tower Bridge:

  • No verão de 1912, o piloto Frank McClean, enquanto voava com seu biplano sobre o Tâmisa, não conseguiu atingir uma altura suficiente e teve de voar através da ponte, por baixo das passarelas. Outros pilotos fizeram o mesmo (mas propositadamente) em 1973 e 1978.
  • Em 1952, um ônibus doubledecker da linha 78 teve a falta de sorte de entrar na ponte quando suas básculas estavam sendo levantadas. Albert Gunton, o motorista,logo que percebeu a situação em que se encontrava, acelerou e seu ônibus deu um salto de uma báscula para outra. Nenhum passageiro se feriu.

Mais sobre a Tower Bridge e a vida de universitária na Inglaterra nos próximos posts!

Fontes: Tower Bridge.org, Wikipedia

Anúncios

Um pensamento sobre “PET Sem Fronteiras – As incríveis construções de Londres

  1. Pingback: Diário de Bordo 2 – Porque o Reino Unido é referência na Educação « Pet Civil – UFJF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s