Visita Técnica – Pedra Sul

Através da visita técnica à Pedra Sul, alunos de Engenharia Civil da UFJF verificaram o processo produtivo de agregados para a construção civil. A produção resume-se ao desmonte de rocha e seu posterior beneficiamento produzindo brita e pó-de-pedra, dentro de uma faixa granulométrica.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desmonte

O processo inicia com a remoção do capeamento ou solo residual que em alguns casos cobre a rocha sã. Na área de Lavra, utiliza-se a técnica de exploração das rochas através de bancos ou bancadas (degraus), buscando prolongar a vida útil da pedreira que, segundo os estudos feitos pela empresa, possui exploração prevista para os próximos 30 anos, no mínimo. Na perfuração da rocha, são feitos aproximadamente 120 furos/detonação, com 3 polegadas de diâmetro. Os furos são carregados com explosivo e o desmonte da bancada é denominado fogo primário. Esta operação é feita de acordo com um “Plano de fogo”, que é o detalhamento da distribuição de cargas explosivas, previamente elaborado sob a supervisão de engenheiros com experiência em planejamento de lavra. Estima-se que em cada “fogo”, são utilizadas de 8 a 11 toneladas de explosivo.

Por questões de segurança, a área é evacuada durante as explosões. A seguir, vídeo de uma detonação com explosivos.

Explosões geram tensões dinâmicas que normalmente se propagam na forma de ondas sísmicas. Equipamentos sismógrafos detectam tais variações, possibilitando o traçado de uma curva ajustada para aquela lavra que relaciona a carga de explosivo com os níveis de ruído e vibração. Isto conduz à determinação das cargas máximas por espera, e consequentemente permite definir planos de fogo ideais, reduzir a poluição sonora e ter maior controle da emissão de partículas sólidas na atmosfera. É importante também a aplicação devida dos métodos topográficos para demarcação e nivelamento das bancadas, uma vez que estas influenciam diretamente na precisão da detonação.

O material desagregado na praça de lavra é carregado por máquinas que fazem o enchimento dos caminhões fora-de-estrada que seguem até a planta de beneficiamento. Os blocos de dimensões maiores que a capacidade de admissão dos equipamentos de beneficiamento instalados são novamente fragmentados através de um equipamento montado em escavadeira chamado rompedor hidráulico, produzindo blocos menores que podem ser processados pelos britadores.

Beneficiamento

É o processamento da substância mineral extraída, preparando-a conforme sua utilização industrial posterior. Os blocos de rocha são enviados ao britador primário, que realiza uma primeira redução dimensional dos blocos, que em seguida são levados via correias transportadoras até o complexo de rebritagem (3 rebritadores). Após a rebritagem do material, um sistema de peneiras vibratórias e classificatórias passa a operar no sentido de separar os materiais nas diversas faixas granulométricas sob a forma de pilhas a céu aberto.

Tanques de água e açude funcionam em um sistema de aspersão, cujo objetivo é evitar o levantamento de poeira. Dessa forma, o material já sai com certo teor de umidade.

Os materiais produzidos:

Agradecimentos: à Pedra Sul, a Engenheira Carolina e  ao Professor Guilherme Soldati.

Fontes: Pedra Sul, pormin,

NETO, Tito L. A. –  Problemas Gerados pela Extração de Rochas e Propostas para Mitigação do Impacto Sonoro,  COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, 2006.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s