Semana Especial – Concreto Virado em Obra

Para quem não sabe, concreto virado na obra é aquele preparado pelos próprios serventes no canteiro de obras. Esse processo pode ser considerado rudimentar e apresentar baixa precisão, devido ao baixo controle de qualidade e aos instrumentos utilizados. Para a dosagem, usa-se a padiola (caixote de dimensões conhecidas), de forma que o traço deve ser dado em volume. A mistura pode ser feita com betoneira ou no chão, com enxada (obras pequenas). A dosagem é feita por meio da padiola (caixote de dimensões conhecidas), de forma que o traço deve ser dado em volume e a mistura pode ser feita com betoneira ou no chão, com enxada (obras pequenas).
Atualmente, o uso de concretos virados no canteiro é questionado, pela perda de qualidade do produto final quando comparado com concreto usinado, que possui maior desenvolvimento tecnológico na produção, controle de qualidade e aplicação e cujo uso se difunde devido as vantagens apresentadas nesse quesito. A seguir, benefícios e desvantagens do uso de concreto virado em obra nas edificações.

Benefícios

Tratando-se de custo, deve-se lembrar que comprando concreto usinado, são pagos não só os materiais, mas também o transporte (há necessidade de utilização de bombas para lançá-lo na obra)e o lucro do produtor (além de impostos que este é obrigado a arcar).
Sabe-se que o concreto feito muitas vezes é feito na própria obra, também por questões de logística (dificuldade de transporte, ou dependência de horários de entrega), ou mesmo em pequenas concretagens, onde seja inviável ou impossível utilizar o concreto usinado.
Outro fator de relevância é necessidade de verificação da conformidade do concreto usinado, ou seja, se o mesmo atende às especificações do pedido. Havendo discrepância entre os resultados obtidos pela construtora e pela concreteira, ocorre grande transtorno, fazendo-se necessário em alguns casos buscar uma empresa de controle tecnológico independente para tratar as divergências. Vale lembrar ainda que o concreto usinado também pode causar patologias, como deficiência de adensamento na cura e no cobrimento da armadura menor do que o especificado no projeto.

Desvantagens

  • É preciso manter no canteiro estoques de materiais utilizados para a fabricação do concreto, além de equipamentos e mão-de-obra especializada
  • Os níveis de controle de qualidade das concreteiras são superiores, já que a dosagem é mais precisa e o concreto mais homogêneo
  • Um melhor controle de produção também pode gerar economia de cimento
  • A conformidade do concreto recebido com as especificações do contrato é de responsabilidade do fornecedor
  • O tempo de concretagem  é maior quando o mesmo é produzido na obra, e essa produção afeta na limpeza, na organização e no espaço disponível no canteiro
  • Concreto virado na obra gasta mais água e energia elétrica, exige grande esforço responsabilidade
  • Poder ocorrer perdas de material
  • Produção inviável em obras muito grandes por meio dos métodos tradicionais.

Algumas concreteiras afirmam que a compra do produto usinado reduz o custo da obra, devido principalmente à economia com a mão de obra e materiais em geral, o que sugere que fazendo o concreto em obra, se perde em custo e qualidade.
Possíveis falhas na produção do concreto, como variações na quantidade de água, ou contaminação do mesmo por substâncias presentes no meio onde este foi produzido podem ocasionar uma série de patologias nas estruturas de concreto armado e o custo do reparo de falhas de projeto ou de execução em uma estrutura é muito maior do que os custos com controle de qualidade, o que demonstra um grande risco caso o concreto feito na obra não seja produzido de maneira adequada.

Então: o concreto pode ser feito na obra?

Segundo a NBR12655-2006 pode, desde que atenda a todos os requisitos da mesma. Segundo às referências os problemas da compra de concreto usinado estão relacionados principalmente à logística e a questões burocráticas, enquanto o concreto feito em obra apresentou perdas na qualidade final do produto. É possível verificar que, apesar do custo de se fazer o concreto na obra ser, aparentemente mais baixo, a relação entre custo e benefício mostra-se menos satisfatória em relação ao o concreto usinado.

Isso não quer dizer que devemos descartar a possibilidade de fabricá-lo na obra, esta é uma opção que tem suas peculiaridades, a qual podemos recorrer  em situações em que sua viabilidade seja constatada. Feito de maneira correta, o concreto pode ser produzido no canteiro de obra sem que ocorram grandes prejuízos, ocasionados pela falta de cuidados na execução.

Fontes:

ABNT NBR 12654.- Controle Tecnológico de Materiais Componentes do Concreto

NBR12655-2006- Concreto de cimento Portland – Preparo, controle e recebimento – Procedimento

Revista Construção – Mercado Controle tecnológico de concreto EditoraPINI, Construção Mercado 51 – outubro de 2005

ConcreteiraGrande ABC, Editora PINI, Geramix Concretos, IBDA: Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Arquitetura , Obra técnica, Minha casa via blog

Anúncios

3 pensamentos sobre “Semana Especial – Concreto Virado em Obra

  1. Ótimo post!
    Porém contém um pequeno erro de português:
    Inchada refere-se a uma coisa com inchaço.
    A palavra correta para a ferramenta é ENXADA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s