Modificação na NBR 15200 – Projeto de Estruturas de Concreto em Situação de Incêndio

Entrou em vigor neste sábado, 26 de maio, o novo texto da NBR 15200, Projeto de Estruturas de Concreto em Situação de Incêndio. A norma, baseada no Eurocode (norma européia) estabelece os critérios de projeto de estruturas de concreto em situação de incêndio e a forma de demonstrar o seu atendimento, conforme requisitos de resistência ao fogo estabelecidos na ABNT NBR 14432.

A norma estabelece requisitos gerais de proteção contra incêndio que compreende:

  • reduzir o risco de incêndio;
  • controlar o fogo em estágios iniciais;
  • limitar a área exposta ao fogo (compartimento corta-fogo);
  • criar rotas de fuga;
  • facilitar a operação de combate ao incêndio;
  • evitar ruína prematura da estrutura, permitindo a fuga dos usuários e as operações de combate ao incêndio.

A versão original havia sido publicada em 2004 (NBR 15200:2004) e começou a ser revisada em abril do ano passado. As modificações foram necessárias para atualizá-la em relação aos avanços tecnológicos na área da segurança em incêndios e para ajustar alguns procedimentos à prática de projetos.

O texto antigo utilizava os métodos mais simples da norma europeia. “Os calculistas começaram a utilizar a norma e notaram que, para os pilares, os métodos levavam a resultados pouco econômicos”, diz Valmir Pignatta, professor-doutor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e integrante da Comissão de Estudo de Estruturas de Concreto (CE 02:124.15), do Comitê Brasileiro da Construção Civil (CB-02). “Trouxemos vários métodos e adaptamos aos nossos costumes e dimensões”, disse ele.

Segundo o engenheiro Alio Ernesto Kimura, que participou da elaboração do projeto, as principais novidades da ABNT NBR 15200:2012, resumidamente , são:

  1. A norma contém 48 páginas, sendo seis anexos normativos e um anexo informativo;
  2. Algumas informações estão apresentadas de forma mais clara, como por exemplo: não há limitações na espessura de lajes em ambientes não compartimentados e da distância entre o eixo da armadura longitudinal e a face do concreto exposta ao fogo (c1) de armaduras negativas em qualquer caso, permissão da interpolação linear para obtenção de valores intermediários no Método Tabular;
  3. As tabelas do Método Tabular contemplam TRRF (Tempo Requerido de Resistência ao Fogo) até 180 minutos;
  4. Possibilidade de redução de c1 quando As,ef < As,calc ou Sd,fi < 0,7.Sd. Sendo As,ef a área de armadura detalhada, As,calc a área de armadura necessária, Sd,fi a solicitação de cálculo em situação de incêndio e Sd a solicitação de cálculo à temperatura ambiente;
  5. Não é permitida a consideração do revestimento na determinação das dimensões mínimas da seção transversal de pilares e lajes lisa ou cogumelo. Para outros elementos, não há essa restrição;
  6. Nova tabela para lajes nervuradas armadas em uma só direção;
  7. Novo método analítico e um novo método tabular mais geral para dimensionamento de pilares;
  8. Detalhamento do Método do Tempo Equivalente, que pode reduzir as exigências em muitos casos;

Outras informações podem ser obtidas no link: 2º PROJETO DE REVISÃO ABNT NBR 15200

Fonte: Rede GMinas

Anúncios

2 pensamentos sobre “Modificação na NBR 15200 – Projeto de Estruturas de Concreto em Situação de Incêndio

  1. Pingback: Concreto submetido à altas temperaturas / Incêndio em edificações « Pet Civil – UFJF

  2. Pingback: Concreto submetido à altas temperaturas / Incêndio em edificações | Engenharia Estrutural e Construção Civil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s