Logística na Construção Civil

O trânsito nas cidades está cada vez mais caótico. Entre as medidas que estão sendo tomadas para tentar reverter esse cenário, estão as leis que restringem a circulação de caminhões nos períodos de pico. Para a construção civil, essas leis trazem  impacto expressivo ao dificultar a movimentação de caminhões betoneira e o fornecimento de materiais no canteiro de obras.

Há alguns anos, a construção civil priorizava a área técnica-estrutural em detrimento da área de suprimentos. Hoje, com o aumento da competitividade, a preocupação com o gerenciamento do fluxo de suprimentos, principal responsável pela ineficiência, desperdícios e improvisação no ambiente produtivo, passou a merecer ou a exigir um destaque bem maior. Os métodos construtivos sofreram evoluções consideráveis: a montagem passou a tomar lugar da produção in loco e a movimentação dos materiais nos canteiros começou a ser especializada, com a utilização de equipamentos compatíveis, gerenciamento próprio e maior destaque no planejamento da obra.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a logística não é um novo processo ou uma metodologia administrativa. Ela sempre existiu, desde os tempos mais remotos, quando o homem começou a produzir mais do que necessitava, começando a precisar de locais de armazenagens, além de transportes para dar vazão à necessidade de trocas dos excedentes com seus vizinhos. A logística é um termo de muita evidência em todos os setores empresariais. Hoje, todas as grandes empresas, nos mais diversos setores, utilizam a logística como forma de administrar seus fluxos produtivos, com resultados satisfatórios. As empresas da construção civil, por sua vez, possuem departamento de logística que cuida da administração de materiais, de serviços e da distribuição de pessoas e equipamentos, com as diversas atividades relacionadas.

Em busca de um diferencial que possa oferecer vantagens no mercado, muitas empresas estão apostando na Logística como ferramenta de competitividade, tendo como principal objetivo aplicar de maneira eficaz o gerenciamento das estratégias de fluxos de materiais e informações. Ao ser corretamente entendida e aplicada, a logística permite desenvolver estratégias para a redução de custos e o aumento do nível de serviço ofertado ao cliente.

Modernização dos processos construtivos

O canteiro de obras na construção civil vem se aproximando cada vez mais, e de maneira perceptível, à forma de operar de uma indústria seriada, onde processos repetitivos começam a dominar o ambiente operacional. A crescente introdução de componentes pré-fabricados com nível considerável de padronização, seguindo a linha da industrialização seriada, começa a oferecer condições de ganhos em produtividade e redução de custos. A unitização de materiais e componentes que facilitam a movimentação e a armazenagem também constitui um fator de extrema importância nesse processo que, evidentemente, exige equipamentos compatíveis como empilhadeiras, antes inimaginável dentro de um canteiro.

Estes aspectos assim colocados estão exigindo, portanto, uma mudança de ação radical em relação ao paradigma dos sistemas construtivos, através de uma alteração na forma de gestão, o qual também terá que se adequar a estas evoluções. Ou seja, para isso é necessária também a introdução de melhorias gerenciais relacionadas à logística, planejamento e controle de produção, associado tudo isso a uma tecnologia de informação compatível e bem desenvolvida.

A gerência de suprimentos (logístico-operacional) será a responsável mais direta com relação aos aspectos mencionados anteriormente, como: planejamento produtivo; qualidade dos serviços, mão-de-obra e materiais; continuidade produtiva; produtividade; integração com fornecedores externos e internos; integração com todos os agentes envolvidos; fluxos e tecnologias de informação, etc.

Os dez mandamentos da logística na construção civil

Toda construtora que busca o sucesso na realização dos seus empreendimentos deverá obedecer aos dez mandamentos da logística na construção civil, sobre a pena do atraso da obra e desembolsos muito além do necessário.

  1. Primeiro mandamento: Planejar sempre e antes de tudo. Falhas no planejamento de uma obra acarretam o re-trabalho, atrasos e pagamento de multas desnecessárias. No Brasil se planeja mal e pouco. Pode-se dizer, que é a grande falha dos executivos que tem como sua maior característica sair fazendo.
  2. Segundo mandamento: Padronizar buscando sempre uma família de padrões. Além da padronização dos materiais da obra é muito importante a padronização dimensional. Da mesma forma que os planejadores devem buscar a padronização dos módulos de carga que possibilitam a melhor escolha dos equipamentos de movimentação dos materiais.
  3. Terceiro mandamento: Integrar a movimentação dos materiais e dos sistemas de informação com os prestadores de serviços e os supridores da obra.
  4. Quarto mandamento: Simplificar, para não desperdiçar. A boa solução é aquela óbvia, que promove expressões do tipo: – Porque não pensei nisto antes? – Mas é lógico. Bem bolado.
  5. Quinto mandamento: Respeitar a Força da Gravidade, nunca esquecendo que levar para baixo é sempre mais fácil.
  6. Sexto mandamento: Controlar o processo e materiais. Nunca esquecendo da máxima, Só é possível melhorar aquilo que é medido. Indicadores de desempenho são fundamentais para a boa logística da obra civil. Controlar também o fluxo de materiais e principalmente, controlar estoques o grande responsável pelo escoamento financeiro e desperdício.
  7. Sétimo mandamento: Respeitar a Segurança do Trabalhador, pois são eles os principais prejudicados.
  8. Oitavo mandamento: Mecanizar e se possível automatizar. A mecanização possibilita uma maior velocidade de deslocamento tanto horizontal como vertical. Permite o empilhamento dos produtos desimpedindo a circulação melhorando o fluxo dos materiais na obra.
  9. Nono mandamento: Criação, mas sempre considerar que a possibilidade de erro é menor nas técnicas consagradas. Sem perder a criatividade saber utilizar técnicas inovadoras, porém consagradas. O novo sempre possibilita surpresas por vezes não muito agradáveis.
  10. Décimo mandamento: Sustentabilidade, respeito à natureza e ao meio ambiente. Buscar a sustentabilidade no momento da construção e após o edifício concluído. O planeta agradece.

Fontes: Helio Flavio Vieira, Logística Aplicada à Construção Civil – como melhorar o fluxo de produção na obra

Adriano Aurélio Ribeiro Barbosa, Contribuição da Logística na Indústria da Construção Civil Brasileira. REVISTA CIÊNCIAS EXATAS – UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ (UNITAU)

Fernando Henrique de Almeida Sobral, Os dez mandamentos da logística na construção civil

Infologis, Logística na Construção Civil

Anúncios
Postado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s