Dicas para um bom rendimento acadêmico

Inúmeros sites da área de educação tem entre seus artigos algum com dicas para se estudar melhor. Nós mesmos do blog já postamos sobre como sobreviver à Semana de Provas Finais com os melhores resultados possíveis. Esses conselhos são universais e muitos já estão familiarizados com esse tipo de dica.

Hoje apresentaremos algo diferente: um papo de veterano para calouro. São sugestões práticas, voltadas para o dia-a-dia do universitário, e que podem fazer toda a diferença no decorrer do seu curso. Ainda, se você nem é tão calouro mais, mas acha que uma mudança seria bem-vinda, aproveite esse texto.

Então, sem mais delongas, fiquem atentos a essas 5 medidas:

1- Tenha prioridades

Tudo tem sua hora. Espere, acho que não frisei o suficiente a importância dessa frase:

TUDO TEM A SUA HORA

“Cinema depois da aula?” “Claro!”

“Cerveja no barzinho ao lado da faculdade?” “Topo, na horaa!!”

“Fim de semana nas chopadas?” “Já é!!”

Sair com os amigos é ótimo! São novas pessoas que conhecemos, diversão, bom papo… E faz parte desse novo mundo universitário.

Mas trocar prova por balada? Sair com os amigos na véspera da entrega de um trabalho? Poxa… isso é dar mole. Para tudo na vida é preciso discernimento. Seus amigos sempre estarão lá por você. Sempre haverá uma nova “festa imperdível”. Mas perder um semestre de esforço é besteira.

Cada disciplina que fica pra trás é uma nova dor de cabeça no futuro. Os horários ficam embaralhados e muito em breve você terá que optar por 45 horas de estudo semanais ou um semestre de atraso na sua formatura.

Por isso, tenha sempre em mente que a hora de se divertir é a hora de se divertir… mas a hora de estudar, é pra ralar! E confundir essas duas, é besteira!

Divida bem seu tempo… e saiba aproveitar os momentos com os amigos!

2- Virar a noite não está com nada

Já perdi a conta de quantos amigos dão o seguinte depoimento:  “nossa, fiquei até as 4 horas da madrugada estudando, acordei as 7, e vim pra cá!”.  Incrível como, depois de taaaanto estudo, as notas deles são tão baixas.

14.635.321 estudos já comprovaram que é quando dormimos que o nosso cérebro analisa e armazena as informações propriamente. Se perdemos as (no mínimo!) 7 horas de sono que precisamos, ficamos desatentos, irritadiços, sem foco.

Se você presta atenção nas aulas, ter o raciocínio afiado na hora da prova pode te garantir uma nota excelente, mesmo que nas vésperas não seja possível estudar toda a matéria. Agora, o seu amigo que estudou todo o conteúdo durante a noite anterior tem muito mais chance de ter o temível “branco” bem na hora H.

E se o professor pediu na prova algo mais complexo, que requisitava um pouquinho mais de “malícia” para se resolver? Quem vai compreender a questão?

a)O rapaz que não estava nem aí nas aulas, e na semana da prova, correu comendo o livro;

b)O rapaz que prestava atenção nas aulas, e chegou na prova atento e relaxado.

Fica a pergunta para vocês.

3- Não importa o quanto você estuda, mas sim como você estuda

Cedo ou tarde os universitários descobrem que tempo é o seu principal recurso durante o período.

Saber a melhor forma de gravar o conteúdo das disciplinas é o que separa os alunos excelentes dos razoáveis.

Tem gente que gosta de ouvir, e estuda literalmente lendo, em voz alta, a matéria. Tem gente, como eu, que grava ao escrever; e faço resumo de todos os conteúdos das disciplinas. Tenho uma amiga que tem a memória ligada às cores – ela grifa de cada cor cada passagem do livro, e assim sabe onde cada assunto se encaixa…

Enfim, cada um tem suas manias, sua forma de estudar melhor. Tem gente que gosta de estudar sozinho, em silêncio, e tem os que gostam de discutir cada ponto, para assim recordar.

Saber qual é o seu forte é fundamental para poupar tempo e tirar o melhor proveito do conteúdo aprendido.

4- Estágio x Estudo

Ao entrar na universidade, os estudantes se deparam com uma infinidade de oportunidades além da sala de aula. Só para citar algumas, tem monitoria, iniciação científica, PET (=D), estágio remunerado ou não, ser membro do diretório acadêmico, treinamento profissional…

Cada um deles tem o seu papel na formação do aluno. E cada um deles tem o seu tempo.

Normalmente, o estágio é requisito fundamental para a plena formação acadêmica, e sem ele, é impossível ter o seu diploma.

Mas os estágios de qualquer curso, sobretudo engenharia, tem pré-requisitos. Conhecimentos básicos sobre o tema que o aluno/candidato deve dominar. Entrar em um vínculo empregatício sério, como um estágio, com “uma mão na frente e outra atrás”, é um desperdício do seu tempo e da vaga da empresa.

Certa vez, uma conhecida do curso de Engenharia Civil ficou deslumbrada com a oportunidade de projetar cômodos para uma empresa de materiais de construção. No 2º período, ela abandonou sua bolsa de iniciação científica e pulou de cabeça na nova empreitada, onde receberia um bom salário.

No segundo mês ela já havia dominado todos os programas, e percebeu que estava na realidade fazendo o serviço de uma Arquiteta. Não havia mais nada que ela poderia aprender relevante ao curso, e então saiu do estágio. Resumo da ópera: essa conhecida ficou sem emprego e sem a bolsa de iniciação que é tão interessante nos primeiros períodos da faculdade…

5- Estude bem para a PRIMEIRA prova

Se até agora nada do que foi dito provocou a menor mudança em seu modo de pensar, peço que considerem ao menos esse último quesito.

Nos cursos de engenharia da UFJF, é comum que os professores ofereçam 3 TVCs – Testes de Verificação de Aprendizagem. Muitas vezes, alguns professores oferecem, à guisa de 2ª chamada, a famosa Prova Substitutiva ou  Prova Final.

Essa Substitutiva, como é conhecida, substitui a menor nota do aluno. Ela é geralmente feita com a matéria toda do semestre, e muitos vêem como a “salvadora da pátria”.

Meu caro leitor, seja esperto. As primeiras provas são a introdução da matéria. Possuem o menor conteúdo a ser estudado e na maioria das vezes, são as mais fáceis.

Muitos, muitos alunos, sem a menor responsabilidade com o curso ou com os pais que trabalham duro para bancar seus estudos, simplesmente deixam para estudar na última hora. Fazem as primeiras provas tranquilos, tranquilos, pois sabem que, se necessário for, podem simplesmente substituir a nota pela Substitutiva ao final do período.

Não caia nessa armadilha. O final do período é repleto de TVCs de todas as matérias, e trabalhos de última hora para entregar. Deixar para estudar uma matéria especificamente difícil aos 45 minutos do segundo tempo é um estresse desnecessário.

Experimentem dar duro no início do semestre. Tudo está mais tranquilo, as provas mais espaçadas e os professores mais disponíveis. E vocês ainda podem aproveitar o final das aulas para relaxar e preparar as viagens de férias – ao invés de estudar como doidos e correr atrás de nota…

Espero que o que foi dito aqui seja de algum proveito para os ingressantes de todos os cursos. Seguindo essas regrinhas básicas, consegui chegar ao 6º período de Engenharia Civil sem uma sequer reprovação.

Fiquem sempre ligados no blog, pois cada semana temos novidades diferentes. 😉

Autora: Júlia Mendes

Anúncios

4 pensamentos sobre “Dicas para um bom rendimento acadêmico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s