Piscinas – Parte 1

Piscinas não são apenas uma excelente forma de lazer: são também parte da decoração da casa e agregam valor ao imóvel. As piscinas estão cada vez mais populares. Quanto da construção de uma, diversos fatores como tipo de solo, posição do sol, tamanho do terreno poderão interferir.

O preço vai depender do tipo e do tamanho da piscina. A evolução tecnológica trouxe novos materiais – o vinil e a fibra de vidro, por exemplo – que podem reduzir em até 70% o custo do produto.  Em questão de resistência, durabilidade, beleza, sofisticação de revestimentos e valorização do imóvel, a melhor opção ainda é a piscina de Concreto Armado, visto que Vinil e Fibra de Vidro são na realidade revestimentos sobre uma estrutura de sustentação.

Ao contrário do que muitos dizem, a diferença fundamental entre as piscinas de concreto armado e vinil está na estrutura e não no revestimento. O concreto armado é executado com malha de ferro dupla no piso, parede e borda, preenchidos com concreto usinado formando uma peça monobloco, com espessura média entre 12 a 15cm. É auto portante, não depende do terreno para se apoiar, e pode ser executado em qualquer tipo de solo ou até mesmo acima do solo (suspensa).

A estrutura para o vinil é composta apenas de uma parede de blocos sustentada por colunas e em cujo fundo é executado um contra-piso de concreto armado com uma malha simples de ferro sem ligação com a parede. Não pode ser executado em qualquer terreno, como por exemplo os que possuem lençol freático. É uma opção, se o orçamento estiver apertado. No entanto, para que a piscina seja mais barata do que a piscina de concreto armado, o terreno deverá ser plano e resistente. Caso contrário será necessário reforçar da estrutura de tal modo que o seu custo acaba chegando próximo a de concreto armado. O vinil também não é tão durável – pode sofrer a ação dos produtos químicos causando manchas e perde seu brilho original em pouco tempo.

A piscina de Fibra de Vidro também é outra opção mais barata do que o concreto armado. Diferente da piscina de vinil, não existe liberdade de escolha nos modelos, que já são pré-existentes. A fibra com o tempo também perderá o seu brilho original, podendo manchar, criar bolhas e , dependendo da qualidade da estrutura, trincar. Assim como na piscina de vinil, são necessários cuidados especiais com a estrutura que vai suportar a pressão da água.

Para ter sua piscina

Primeiro passo: Contrate um arquiteto para elaborar o projeto. É nele que se define as instalações elétrica e hidráulica e a iluminação da piscina. Cada detalhe precisa ser bem elaborado e estudado, para que problemas mais sérios não aconteçam e você tenha prejuízos ao invés de descanso. Tome o cuidado de verificar se o arquiteto possui o registro CREA.

Segundo passo: Escolha uma empresa adequada.  É importante que você verifique se a empresa que escolheu tem bons antecedentes e é bem vista no mercado. Peça que os responsáveis façam uma visita ao local onde será construída a piscina e solicite um orçamento.

Terceiro passo: Pesquise o preço das piscinas. Com o projeto em mãos e a idéia do tipo de piscina que você vai construir, comece a pesquisa de preços para a compra dos materiais.

Quarto passo: Acompanhe a construção. Se não tiver o tempo disponível, não tem problema. O fato de ter contratado um engenheiro de confiança vai ser imprescindível nessa hora.

O que se deve levar em conta

Espaço disponível para a instalação: Você não pode esquecer que o espaço deve incluir, além da piscina, uma área de lazer ao redor, mesmo que pequena. Uma regra simples para saber qual o tamanho ideal do terreno é multiplicar a área da piscina por dois. Assim, uma piscina de 6m x 4m, ou 24m2, precisa de um terreno com, no mínimo, 48m2 – o dobro da sua medida.

Profundidade: Já não se recomenda a construção de piscinas muito fundas. A profundidade ideal fica entre 1,30 e 1,40m na parte mais funda, suficiente para permitir a prática de natação. Na prainha, parte mais rasa, indicada para as crianças e para o descanso dos adultos, a medida vai de 0,40 a 0,50m.

Onde está o sol: Não adianta investir na construção da piscina e colocá-la em um espaço onde o sol não apareça. Escolha o local mais apropriado.

Características do solo: As características do solo são decisivas para quem pretende construir uma piscina. Para evitar problemas, procure um documento chamado sondagem do subsolo. Ele revela as camadas do terreno e suas características. Caso você não tenha esse documento, peça ao engenheiro para verificar que tipo de solo é o seu terreno.

Paisagismo: Não é aconselhável construir a piscina em locais que possuam pinheiros, eucaliptos e árvores futíferas (elas soltam folhas com frequência). Procure locais mais abertos e peça a ajuda de um paisagista para decorar o espaço.

Projeto bom, piscina pronta, agora é só deitar, relaxar e curtir o verão….

Fontes: Acessa, Engevil Piscinas (Imagens), Show de Piscinas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s