Usina Hidrelétrica de Belo Monte – Parte I

Essa é a parte 1 de um assunto que poderia render milhaaares de posts.

A usina hidrelétrica de Belo Monte, a ser construída no rio Xingu, na região de Altamira (PA), é o maior projeto do setor elétrico do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Com potência instalada de 11,2 GW – média de 4,5 GW – tem capacidade de abastecer uma regiãode 26 milhões de habitantes, como a região metropolitana de São Paulo.

O governo defendeu na terça-feira (22 de novembro de 2011) a viabilidade técnica, econômica e social da construção da usina. Durante o balanço do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), do qual o empreendimento faz parte, a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, garantiu que o governo está acompanhando o cumprimento das “condicionantes” impostas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a execução da obra.

“Não há nenhum índio ou pessoa da comunidade indígena sendo retirada de suas terras. Não será alagado o Parque Nacional do Xingu. Nenhum metro quadrado dele. Belo Monte é eficiente e não é cara, se comparada a outras obras. O governo tem convicção da viabilidade técnica, econômica e social da usina de Belo Monte”, disse a ministra.

Miriam Belchior afirmou ainda que a hidrelétrica de Belo Monte dará ao Brasil condições para manter limpa e renovável sua matriz energética no momento em que o mundo se prepara para conter os efeitos das mudanças climáticas.  (Portal Brasil.gov.br)

Os movimentos sociais e lideranças indígenas da região são contrários à obra porque consideram que os impactos socioambientais não estão suficientemente dimensionados. Em outubro de 2009, por exemplo, um painel de especialistas debruçou-se sobre o EIA e questionou os estudos e a viabilidade do empreendimento. Um mês antes, em setembro, diversas audiências públicas haviam sido realizadas sob uma saraivada de críticas, especialmente do Ministério Público Estadual, seguido pelos movimentos sociais, que apontava problemas em sua forma de realização. (Instituto Socio Ambiental)

Nesse contexto, surgem dois lados da sociedade: contra Belo Monte e a favor de Belo Monte. Inclusive artistas famosos da Rede Globo mostraram seu lado em um vídeo tão assistido quanto controverso:

Movimento Goda D’água

Apresentamos, então, o outro lado da moeda. Esse vídeo foi feito por alunos da Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Movimento Fio D’água

Texto (trechos):

Você já ouviu falar da hidrelétrica de Belo Monte?

Muito antes de ficar na moda.  O Projeto tem mais de 30 anos e muito menos está na sua primeira versão. O projeto inicial iria inundar 1225 Km² de Floresta Nativa … Por questões sócio-ambientais esta foi reduzida para os atuais 516 Km² … Sendo que metade desta área já é inundada anualmente  pelo próprio rio Xingu. [FONTE: Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) – Eletrobrás http://goo.gl/dulzT ]

 

Mas mesmo assim … comunidades indígenas não serão afetadas e deslocadas de suas terras nativas ?

 

Bom … isso é o que se fala  … mas segundo a própria FUNAI nenhuma terra indígena será alagada  os povos indígenas não serão removidos das suas aldeias. [FONTE : http://www.funai.gov.br/]Mas aqui … você já foi à Amazônia?
Não.

E por que não? Porque é longe?

Tem gente lá fora que acha que a Amazônia é território internacional. A construção da usina representa a presença do Estado brasileiro na região.

O  você  … o que acha disso? Por que você acha que tem um monte de gringo contra Belo Monte? Será que eles tão preocupados com as nossas florestas? Mas e as deles? Apenas 5% da floresta nativa dos Estados Unidos está de pé, mais de 80% da mata nativa da Asia se foi, logo a opinião deles não possui tanta credibilidade assim.

Óh. Ninguém aqui é a favor de queimar floresta nenhuma… É aí que entra o tão falado “desenvolvimento sustentável”. O desenvolvimento sustentável não é apenas salvar “árvores e bichos” … mas sim, permitir que a natureza e o ser humano convivam em harmonia.

E aí? Como que o seu país vai se desenvolver? Sem energia? Essa energia não é apenas para ligar seu computador, ver sua novela, carregar a bateria das suas iCoisas. Mas sim para alimentar a fábrica onde seu pai trabalha. Já imaginou um país sem indústrias? Imaginou quantos empregos simplesmente não existiriam? E um país sem hospitais? Sem escolas? Acho que todos nós temos muito a ver com isso…

Tá legal… gostei… mas e aí? Quanto isso vai me custar?

30 bilhões.

Quanto?

30 BILHÕES. Para a construção dos estádios da Copa, serão gastos mais de 6 bilhões.  Só para o estádio de Manaus, os gastos devem passar de R$500 milhões. [FONTE: Dados do Tribunal de Contas da União.http://portal2.tcu.gov.br/portal/pls/portal/docs/2031208.PDF]

O investimento de Belo Monte não é para esse ano, e sim para a vida toda.

Tá bom… neste ponto você já me convenceu.  Mas não dá pra fazer tudo isso com energia limpa?

Peraí o que você entende por energia limpa?

Alagar o deserto? O sertão? … E a eólica? O Brasil não tem um grande potencial ?

A idéia é muito boa, quero ver é botar em prática. Para gerar o equivalente a Belo Monte seriam necessários milhares de aerogeradores, que ocupariam uma área de mais de 2.500 km². 5 VEZES MAIOR do a área alagada por Belo Monte. E olha que boa parte desta área já é inundada pelas cheias do Xingu.

Que tal a Solar então ?!

Pocha … Também é pouco eficiente. E só te falo uma coisa, o custo de instalação poderia chegar a cerca de 500 Bilhões! [FONTE: http://en.norteenergiasa.com.br/2011/04/26/por-que-belo-monte/] 16     VEZES MAIS !!!

Sim. Só o IBAMA fez 40 exigências para a construção da usina, visando reduzir os impactos sociais e ambientais. TODAS ATENDIDAS [FONTE : http://www.epe.gov.br/leiloes/Documents/Leil%C3%A3o%20Belo%20Monte/Belo%20Monte%20-%20Fatos%20e%20Dados%20-%20POR.pdf ] Sem falar nas outras exigências, como a obrigação de dar incentivos à população local …  Escolas, hospitais etc.

Então é isso  galera, esperamos que o nosso vídeo tenha ajudado no esclarecimento de algumas questões e, principalmente, se torne um incentivo para que cada um de nós pesquise sobre e tire suas PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

Nós não fazemos parte só de um movimento. Nós fazemos parte de uma nação.

“Entre nessa corrente, vamos fazer alguma coisa  DE VERDADE pelo Brasil” e não apenas aceitar as FALSAS VERDADES financiadas por instituições estrangeiras. E PENSE … toda essa discussão se resume a apenas 1 CLICK ???

Gostou? Tem mais:

Moral da História: nós, estudantes, BRASILEIROS, devemos nos informar sobre esse assunto antes de entrar nessa polêmica defendendo um lado ou assinando qualquer abaixo assinado.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Usina Hidrelétrica de Belo Monte – Parte I

  1. Um projeto estratégico do tamanho e da complexidade de Belo Monte gera uma série de dúvidas, ansiedades e discussões.
    As pessoas, por não conhecerem profundamente o empreendimento, acabam o criticando. É normal e até saudável que isso tenha acontecido.
    Por isso é que estamos aqui: para iniciar o debate, tirar dúvidas e ampliar os questionamentos.
    Acreditamos que assim, com esse canal de comunicação aberto, tornaremos o projeto da Usina de Belo Monte um projeto melhor para todos os brasileiros e é claro, melhor para o futuro do Brasil.
    Nossa idéia é ir construindo Belo Monte junto com vocês.

    Inscreva-se no nosso canal no Youtube, ou, acesse http://www.tvbelomonte.com.br

  2. Pingback: Usina Hidrelétrica de Belo Monte – Parte II | PET Engenharia Civil - UFJF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s