Tecnologia de Informação e a Engenharia Civil

Parece familiar?

“Profissionais de TI: sobram vagas e faltam candidatos”; “Mais de 200 vagas abertas para profissionais de TI essa semana”, “TI em finanças: profissionais em falta”, “Empresas procuram engenheiros e profissionais de TI”.

Mas, afinal, o que é TI? E o que é um profissional de TI?

E o mais importante: o que a TI influencia em seu trabalho?

O que é TI

Tecnologia da Informação (TI) pode ser definida como um conjunto de todas as atividades e soluções providas porrecursos de computação. Na verdade, as aplicações para TI são tantas – estão ligadas às mais diversas áreas – que existem várias definições e nenhuma consegue determiná-la por completo.

A TI é uma grande força em áreas como finanças, planejamento de transportes, design, produção de bens, assim como na imprensa, nas atividades editoriais, no rádio e na televisão. O desenvolvimento cada vez mais rápido de novas tecnologias de informação modificou as bibliotecas e os centros de documentação (principais locais de armazenamento de informação), introduzindo novas formas de organização e acesso aos dados e obras armazenadas.

Além disso, tal desenvolvimento facilitou e intensificou a comunicação pessoal e institucional, através de programas de processamento de texto, de formação de bancos de dados, de editoração eletrônica, bem como de tecnologias que permitem a transmissão de documentos, envio de mensagens earquivos, assim como consultas a computadores remotos (via rede mundiais de computadores, como a internet). (Wikipedia)

Por outro lado, TI também é definida por alguns como o conjunto dos conhecimentos que  se aplicam na utilização da informática envolvendo-a na estratégia da empresa para obter vantagem competitiva.

O profissional de TI

As tarefas de desenvolver, implementar e atualizar soluções computacionais cabem aos profissionais de TI. Por causa de sua amplitude, a área é dividida em várias especializações, tal como acontece com a medicina, por exemplo. Sendo assim, há profissional de TI para cada um dos seguintes segmentos: banco de dados, desenvolvimento, infraestrutura, redes, segurança, gestão de recursos, entre outros.

Para cada uma dessas áreas, há subdivisões, por exemplo, em desenvolvimento, há profissionais que atuam apenas com softwares comerciais (como ERP), outros que trabalham apenas com a criação de ferramentas para dispositivos móveis, outros que concentram suas atividades na internet e assim por diante.

Via de regra, interessados em seguir carreira na área de TI fazem cursos como ciência da computação, engenharia da computação e sistemas de informação, mas há outros, inclusive com foco mais técnico, como tecnologia em redes de computadores e tecnologia em banco de dados, além de cerificações e cursos de pós-graduação para profissionais já formados.

TI e o Engenheiro Civil

Existe um cargo específico para engenheiros civil especializados em TI: o Gerente de TI. De formação multidisciplinar, esse profissional tem a possibilidade de atuar como pivô nas estratégias da empresa e influenciar os processos de concepção e execução de obras

O gerente de TI deve atentar para dois pontos: a gama de processos que viabilizam a atividade da construção, desde os projetos até a execução; e a aliança com a estratégia. O desafio desse profissional é aumentar a produtividade da empresa como um todo. Pode se beneficiar da TI quem a tem como parte da estratégia ou quem produz informação, resume referindo-se às empresas de projeto. A possibilidade de expansão da tecnologia da informação dentro da construção pode, certamente, garantir expressivos retornos financeiros tanto para empresas quanto para profissionais.

TI e a Engenharia Civil

A divisão clássica do projeto em etapas seqüenciais com níveis de detalhamento crescente tem mudado nos últimos anos com o uso ferramentas da Tecnologia da Informação. Neste texto foram analisadas as contribuições que a TI deram no processo de projeto na Construção Civil.

A partir da década de 80 com a utilização da micro informática houve uma contribuição no processo de projeto com a automatização de tarefas especificas. Estas automatizações tornavam as atividades já existentes do processo de projeto mais rápidas e eficientes além de permitir um aumento do fluxo de informações a serem processadas. No começo essas ferramentas eram genéricas como planilhas eletrônicas, sistemas de banco de dados e editores de texto. Posteriormente foram utilizadas ferramentas especializadas para ajudar no desenvolvimento de desenhos (CAD), na elaboração de orçamentos e no gerenciamento de projetos. Foram criadas então as chamadas “ilhas de automação” onde diversas ferramentas eram utilizadas de forma independente em departamentos ou em empresas distintas. Na década de 90 as contribuições da TI no processo de projeto da Construção Civil permitiram que vários sistemas começassem a se integrar.  Os departamentos foram comunicáveis através de redes de computadores e sistemas cliente/servidor. Neste estágio os vários intervenientes do processo de projeto podiam trocar mais facilmente seus dados.

Atualmente com os avanços na área de comunicações e computação distribuída e a popularização da Internet, os vários sistemas operacionais, administrativos e de gerenciamento, são integráveis e colaborativos. Com isso pode-se aplicar a engenharia simultânea no processo de projeto onde os sistemas permitem a troca e o gerenciamento das informações dos diversos parceiros e diminuição no tempo de projeto com desenvolvimento de trabalhos em paralelo por vários agentes. Dessa forma é mais fácil integrar o projeto ao processo de produção pois podem ser discutidos antecipadamente todas as etapas e elementos do ciclo de vida da construção, desde o conceito inicial do projeto, tendo em vista qualidade, tempo e os requisitos dos clientes finais.

Coordenar projetos complexos, gerenciar fornecedores e adaptar-se às novas tecnologias são alguns dos desafios enfrentados pelos empresários e gestores que atuam nas áreas de Engenharia, Construção Civil e Arquitetura. Com a Tecnologia de Informação, o mercado é inundado de softwares de gerenciamento e planejamento, metodologias comprovadas e sistemas confiáveis, com implementação rápida, previsível e segura, que permitem um melhor gerenciamento e controle do empreendimento, seja de documentos, projetos e/ou materiais.

Via: Revista Techne, InfoWester, Wikipedia
Créditos: A CONTRIBUIÇÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO  AO PROCESSO DE PROJETO NA CONSTRUÇÃO CIVIL Luiz Antonio do NASCIMENTO Mestrando pela Escola Politécnica da USP. Eduardo Toledo SANTOS Doutor, Eng., Professor da Escola Politécnica da USP.
Anúncios

2 pensamentos sobre “Tecnologia de Informação e a Engenharia Civil

  1. Faço engenharia civil e sou formado em sistemas de informação, já havia notado que o curso na área de T.I. poderia auxiliar na engenharia, fico feliz com esse nicho de mercado que está se desenvolvendo e poder combinar as duas profissões.

  2. Boa noite Ricardo,

    Achei legal seu comentário, como está o curso de eng. civil hoje pra vc? se identificou? Pois assim como vc, sou formado em Sistemas de Informação, me formei em 2011, trabalhei em uma empresa de TI onde fui Analista de Sistemas e Analista de Suporte, e hoje sou Analista de Suporte em uma faculdade, porém com o passar dos dias a minha vontade de fazer eng. civil ano que vem, só aumenta. O que você pode me aconselhar dessa tua experiência e se está sendo proveitoso pra você?

    Obrigado.

    Abraco.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s