Reflexão – A DIFERENÇA QUE FAZ A DIFERENÇA

Os desejos primários de todas as pessoas são: ser feliz, progredir e ganhar mais dinheiro. Uma forma efetiva de alcançar estes anseios é ser rico e próspero. Assim como há pessoas pobres e pessoas ricas, há países pobres e países ricos.

A diferença entre os países pobres e ricos não é a antiguidade dos países. Fica demonstrado pelos casos de países como a Índia e o Egito, que tem mais de 2.000 anos de antiguidade e são pobres. Ao contrário, Austrália e Nova Zelândia, que há pouco mais de 150 anos eram quase desconhecidos, hoje são, todavia, países desenvolvidos e ricos.

A diferença entre os países pobres e ricos também não está nos seus recursos naturais, pois o Japão tem um território muito pequeno e 80% dele é montanhoso, ruim para a agricultura e criação de gado, porém é uma das grandes potências econômica mundial: seu território é como uma imensa fábrica flutuante que recebe matéria prima de todo o mundo e exporta os produtos transformados, também a todo o mundo, acumulando sua riqueza.

Ademais, a Suíça não tem oceano, mas tem uma das maiores frotas náuticas do mundo; não tem cacau, mas tem o melhor chocolate do mundo; em seus poucos km. quadrados cria ovelhas e cultiva o solo 4 meses por ano já que o resto é inverno, mas tem os produtos lácteos de melhor qualidade da Europa. Como o Japão, não tem recursos naturais, mas exporta serviços com qualidade muito dificilmente superável, é um país pequeno que passa uma imagem de segurança, ordem e trabalho.

Também não é a inteligência das pessoas a tal diferença, como demonstram estudantes de países pobres que emigram aos países ricos e conseguem resultados excelentes em sua educação. Outro exemplo são os executivos de países ricos que visitam nossas fábricas e ao falar com eles, nos damos conta de que não há diferença intelectual.

Finalmente não podemos dizer que a raça faz a diferença, pois nos países centro europeus ou nórdicos, vemos que os chamados “ociosos” da América Latina (nós!!) ou da África, demonstram ser a força produtiva desses países.

O que é então que faz a diferença? A ATITUDE DAS PESSOAS FAZ A DIFERENÇA.

Ao estudar a conduta das pessoas dos países ricos se descobre que a maior parte da população cumpre a seguintes regras, cuja ordem pode ser discutida:

  1. A moral como princípio básico;
  2. A ordem e a limpeza;
  3. A integridade;
  4. A pontualidade
  5. A responsabilidade;
  6. O desejo de superação;
  7. O respeito às leis e aos regulamentos;
  8. O respeito pelos direitos dos demais;
  9. Seu amor ao trabalho;
  10. Seu esforço pela economia e investimento.

O Brasil não é pobre porque a ele falte riquezas naturais, ou porque a natureza lhe tenha sido cruel, mas pela atitude de seu povo. Cabe a nós iniciar o esforço de transformar o país através dos bons princípios.

Podemos ver esse texto refletivo como uma crítica ao nosso modo de pensar atual OU podemos perceber o incentivo à mudança e à perseverança presente em cada parágrafo.

(texto da internet)

Anúncios

Um pensamento sobre “Reflexão – A DIFERENÇA QUE FAZ A DIFERENÇA

  1. Pingback: Projeto de iniciação científica discente: descobrindo o brasil – diferenças dialetais no centro-oeste • Curso Tecnico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s