DUBAI – Maravilhas da Engenharia (parte 1)

O emirado, que hoje recebe o título de “miragem do deserto” surgiu como um pequeno povoado de pescadores e, em pouco mais de duas décadas, tornou-se a maior cidade dos Emirados Árabes Unidos e o destino de milhões de turistas. O impulso econômico do local foi o petróleo mas, o receio de que o recurso se esgotasse levou os xeques a investirem em outra atividade, o turismo. Para transformar o pequeno povoado de clima árido em atração turística fizeram maciços investimentos em infra-estrutura e tecnologia.

Hoje, Dubai é sinônimo de luxo e extravagância. O ouro está por toda parte, assim como as megaconstruções que dominam a paisagem. Lá se encontram o hotel mais luxuoso, o maior shopping center e o prédio mais alto do mundo, maravilhas da engenharia que fascinam a todos, especialmente engenheiros e arquitetos.

Burj Al Arab, o hotel mais luxuoso do mundo 

O hotel está situado em cima de uma ilha artificial de areia situada a 280 metros da costa (Jumierah Beach), com uma estrutura de concreto e três níveis no subsolo, cuja construção levou 2 anos. Protegida por uma estrutura especial de concreto armado, a ilha possui uma superfície inclinada e perfurada que absorve o impacto das ondas, não permitindo a entrada da água do mar na ilha. A construção do hotel levou 5 anos, teve início em 1994 e foi concluída em 1999. A obra é assinada pelo arquiteto Tom Wright, da WS Atkins PLC que buscou inspiração no “dhow” – típico barco árabe – atendendo as exigências do cliente, o xeque Said Khalil, que queria um projeto que se tornasse um ícone da cidade.

O projeto: Custou cerca de 650 milhões de dólares. Tem uma área construída de 111.500 metros quadrados, 321 metros de altura (28 andares, cada um com pé-direito duplo medindo 7 metros), é mais alto do que a Torre Eiffel e apenas 60 metros menor que o edifício Empire State, de Nova York. A estrutura é feita de aço, que garante não apenas a sustentação do edifício, mas também proporciona beleza. Mais de 70.000 metros cúbicos de concreto e 9.000 toneladas de aço foram usados para erguer a torre. Para baixar a temperatura interior, o edifício foi resfriado durante o 3° e 6° primeiros meses , essa medida foi para evitar que grandes quantidades de nuvem de chuva se formassem sobre o hotel durante a construção.

O esqueleto de estrutura metálica formado por pilastras curvadas de 85 metros que ajudam a proteger a edificação dos efeitos do vento, ao mesmo tempo em que compõe a espetacular forma de veleiro. O hotel foi construído com duas colunas partindo do chão, originando um “V” que forma um imenso mastro, enquanto que, nos espaços entre elas, foram erguidos os andares.

1 – Quadro do Exoesqueleto; 2 – Armação; 3 – Espinha Central; 4 – Membrana

A fachada é revestida por uma tela dupla de fibra de vidro protegida com Teflon, sendo a primeira vez que tal tecnologia foi usada verticalmente dessa forma e nessa extensão em qualquer edifício do mundo. Mantém-se branca durante o dia e é usada para formar um arco-íris de luzes artificiais à noite. Na sua construção foi usado ouro suficiente para cobrir um campo de futebol.

O luxo é evidente, maçanetas revestidas de ouro, salas de cinema exclusivas, escadarias de mármore, e jacuzzi até nas suítes mais “modestas”, detalhes que tornam o Burj Al Arab um dos poucos hotéis 7 estrelas do mundo.

Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo

Seus 828 metros (167 andares) garantem a ele o título de “o prédio mais alto do mundo” e, para percorrê-los, o prédio também conta com os elevadores mais rápidos do mundo, que chegam a 65 km/h. A construção durou de 2004 a 2010 e custou cerca de 4,1 bilhões de dólares. O edifício conta com apartamentos residenciais, andares de escritórios, um luxuoso hotel Armani, um deque de observação, além de ser cercado por um belo parque com lagos e fontes. O deque de observação “At The Top“, a 442 metros de altura (124o andar), é uma das principais atrações turísticas da cidade. Do topo, pode-se ver uma vista em 360 graus do oceano, do deserto e da cidade.

O projeto: Os projetistas inspiraram-se na forma da flor-de-lótus que é sagrada no Oriente. O Burj Dubai utiliza um centro de apoio e possui uma estrutura modular em forma de “Y” semelhante à forma da flor. Paredes de concreto reforçado circundam um núcleo de concreto hexagonal. A estrutura é feita de concreto e aço e o exterior revestido do alumínio e por mais de 28 mil painéis de vidro. Mais de 330 mil metros cúbicos de concreto, foram usadas e 39 mil toneladas de vergalhões de aço (a quantidade de aço utilizada poderia envolver ¼ da circunferência da Terra). Além de suas vantagens estéticas, a forma do arranha-céu ajuda a suportar fortes ventos e abalos sísmicos. A superestrutura é suportada por um tapete de concreto armado, que por sua vez é apoiado por estacas de concreto armado furado. A alta densidade, o concreto de baixa permeabilidade foi utilizado nas fundações para minimizar os efeitos prejudiciais dos produtos químicos corrosivos presentes na água subterrânea local. No topo do Burj Khalifa encontra-se a sua torre telescópica composta de mais de 4.000 toneladas de aço estrutural. O revestimento exterior é composto de vidros reflexivos, projetados para suportar o calor extremo do verão de Dubai. O prédio também possui um potente sistema de refrigeração de 145 mil toneladas, garantindo um clima ameno até nos andares mais altos.

Dubai Mall, o maior shopping center do mundo

O maior shopping Center do mundo fica aos pés do Burj Khalifa. Com 1200 lojas e mais de 150 restaurantes, é um dos maiores destinos de entretenimento e compras do mundo. O shopping também possui outros recordes, como o maior aquário do mundo, onde vivem cerca de 33.000 animais marinhos (inclusive tubarões, arraias gigantes e até pingüins). O shopping também possui um hotel, 22 salas de cinema e uma pista de patinação.

O projeto: concebido pela firma de arquitetura DC Architects PTE Ltd, foi inaugurado em 2008. No total são 464.500 m², equivalente a 50 campos de futebol. Estima-se que tenham sido gastos aproximadamente 20 bilhões de dólares na sua construção. A arquitetura é moderna e arrojada, mas no interior a decoração varia de peças de vidro a peças tradicionais da região.

Fontes: Tudo em foco, Vagner Landi, UOL viagem, Globo Repórter, How Stuff Works, Turismo IG, Metálica;

E NA SEMANA QUE VEM: Dubai – As Ilhas Artificiais

About these ads

2 comentários sobre “DUBAI – Maravilhas da Engenharia (parte 1)

  1. Pingback: Os maiores arranha-céus: Petronas Twin Towers | PET Engenharia Civil - UFJF

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s